Secretaria de Assistência Social faz orientações a moradores de rua no Centro

O serviço já ocorre de forma rotineira todas as terças e quintas-feiras

Secretaria de Assistência Social faz orientações a moradores de rua no Centro

O serviço já ocorre de forma rotineira todas as terças e quintas-feiras

A Secretaria de Assistência Social e Habitação de Brusque realizou nesta terça-feira, 27, abordagens a moradores de rua no Centro da cidade. O serviço já ocorre de forma rotineira todas as terças e quintas-feiras.

Segundo a coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Flávia Domingues, o público-alvo são crianças, adolescentes, jovens, adultos, bem como idosos e famílias que utilizam espaços públicos como forma de moraria ou sobrevivência.

Alguns destes moradores estão lotados do lado de fora do antigo prédio dos Correios, no Centro da cidade, o que tem gerado preocupação do poder público, que tem como objetivo oferecer um local mais adequado para os moradores e depois reinseri-los na sociedade. “Com certeza é nossa intenção dar oportunidade para que estas pessoas possam ser integradas novamente dentro de um convívio social”, destaca o diretor responsável pela Assistência Social de Brusque, Odair Bozio.

Além das abordagens e orientações, ele cita a própria abertura do albergue na Arena Brusque para atendimento desse público. “O grande problema que encontramos todos os dias é de que a grande maioria não tem interesse de sair da rua por não querer se submeter as normas do albergue, até mesmo pelo fato de terem acesso fácil a comida e, em algos casos, às drogas e bebidas alcoólicas”, explica.

Segundo dados da pasta, somente nos dois primeiros meses do ano foram abordadas 34 pessoas em situação de rua. De todos os abordados, somente um aceitou ir ao albergue. Flávia diz que o principal motivo para a não aceitação do albergue é o fato de os moradores de rua não se sujeitarem as regras de horários para higiene básica, alimentação e descanso. “Muitos também não aceitam conviver com outros moradores em razão de eventuais desentendimentos entre eles”.

Outro ponto levantado pela Assistência Social é de que a grande maioria das pessoas abordadas são ‘trecheiros’. “São pessoas que estão em trânsito no nosso município para outras cidades, que não desejam estabelecer vínculos habitacionais e empregatícios em Brusque”.

Sobre o serviço
O serviço de abordagem social é realizado por uma equipe de educadores sociais junto a um técnico de nível superior. Eles identificam famílias e indivíduos em situação de risco pessoal e social em espaços públicos. “São identificados casos de trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes, situação de rua, uso abusivo de crack, entre outras drogas”. O foco do serviço é garantir atenção às necessidades imediatas das pessoas atendidas, incluindo-as na rede de serviços socioassistenciais e nas demais políticas públicas, na perspectiva da garantia do direito.

Veja abaixo os principais pilares do Serviço de Abordagem Social
– Identificar famílias e pessoas com direitos violados, a natureza das violações, as condições em que vivem, estratégias de sobrevivência, aspirações, desejos e relações estabelecidas com as instituições;

– Construir o processo de saída das ruas e possibilitar condições de acesso à rede de serviços e a benefícios assistenciais;

– Promover ações para reintegrar o usuário do Serviço à família e à comunidade;

– Promover ações de sensibilização para divulgação do trabalho realizado, direitos e necessidades de inclusão social e estabelecimento de parcerias.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio