Conteúdo exclusivo para assinantes

Secretaria de Obras diz que divulgação de cronograma antecipado é inviável

Vereador Paulo Sestrem propôs lei que obriga prefeitura a divulgar programação de trabalho

Secretaria de Obras diz que divulgação de cronograma antecipado é inviável

Vereador Paulo Sestrem propôs lei que obriga prefeitura a divulgar programação de trabalho

O vereador Paulo Sestrem (PRP) apresentou projeto de lei ordinária para que a Secretaria de Obras seja obrigada a divulgar antecipadamente a sua programação de trabalho. No entanto, a proposta é recebida com ressalvas pela pasta, que aponta empecilhos técnicos.

O projeto prevê que a secretaria divulgue, no site da Prefeitura de Brusque, o cronograma de trabalhos de “sua competência”. O artigo segundo diz: “as informações devem ser divulgadas antes do início da respectiva semana em que os serviços ocorrerão, de forma clara e de fácil entendimento, devendo constar todos os subsídios para identificação das atividades a serem desenvolvidas”.

Segundo o vereador, o objetivo é dar mais visibilidade às ações da pasta – uma das mais importantes para o município. “Em função da transparência, é legal para a população acompanhar e também fiscalizar”, diz Sestrem.

Para o parlamentar, é importante ter a listagem de trabalho para que a população saiba quando o serviço será executado na sua rua. Hoje, isso não é possível. Os próprios vereadores também teriam mais informações para cobrar a prefeitura.

Contraponto
Consultado por O Município, o diretor-geral da secretaria, Nik Imhof, aponta uma série de empecilhos técnicos para o cumprimento total do projeto de lei. Segundo ele, o trabalho da pasta é muito dinâmico, portanto, é difícil prever com uma semana de antecedência tudo o que será feito.

“É complicado antecipar com mais de uma semana de antecedência. Como vamos explicar alterações? É muito dinâmico, a equipe começa aqui, daqui a pouco sai para uma emergência e depois volta para terminar”, diz o diretor.

Imhof diz que é “totalmente inviável” prever todo os subsídios necessários para uma obra. Ele cita como exemplo a colocação de tubos. É bastante comum serem descobertos problemas depois da escavação, que demandam mais matéria-prima. 

O serviço de patrolamento é outro que é muito variável, segundo Imhof. Ele explica que as máquinas são acionadas conforme a demanda. Principalmente em época de chuvas, o cronograma é bastante volátil.

Contudo, Imhof diz que é possível fazer um cronograma de grandes obras. Neste caso, há menos variações e mais previsibilidade.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio