Sem ocorrências graves, Botuverá continua em estado de alerta

Ao todo, 20 famílias que moram próximas ao rio Itajaí-Mirim, no Centro, estão isoladas

Sem ocorrências graves, Botuverá continua em estado de alerta

Ao todo, 20 famílias que moram próximas ao rio Itajaí-Mirim, no Centro, estão isoladas

Botuverá registrou grande volume de chuvas neste domingo, 22 de setembro, e a previsão é de mais chuva durante a noite. A equipe de Defesa Civil do município, composta por 15 integrantes, continua em alerta para atender a comunidade e garantir a segurança da população. 

Até o momento, não foram registradas ocorrências graves, mas os moradores de duas residências dos bairros Águas Negras e Salto de Águas Negras foram orientados a deixar suas casas. Moradores de outras regiões próximas às margens do rio Itajaí-Mirim e de demais ribeirões também já deixaram suas casas.

De acordo com aviso emitido pela Defesa Civil estadual, o risco de inundação e desmoronamentos é grande em toda a região. 

Foram registradas quedas de seis barreiras, sendo que duas delas atingiram a rede elétrica ocasionando o corte do fornecimento de energia nos bairros Pedras Grandes e Salto de Águas Negras, durante a manhã. A Celesc foi acionada para resolver os problemas. Estradas nos bairros Gabiroba e Ribeirão Porto Franco ficaram interditadas por algum tempo, mas foram liberadas.

Na Estrada da Barra da Areia o trânsito está interditado para ônibus e caminhões por causa do desmoronamento de parte da estrada. Para não oferecer risco aos estudantes e professores, as aulas em todas as escolas da rede pública de ensino estão canceladas nesta segunda-feira, 23.

Famílias isoladas

De acordo com o prefeito de Botuverá, José Luiz ‘Nene’ Colombi, o maior problema até agora é o isolamento de mais de 20 famílias que moram na Beira Rio, próximo ao Centro. A ponte de concreto, construída em 2012, foi totalmente encoberta pelo rio.

– Pela falta da construção de mais um vão de vigas e o aterro para o acesso à estrada ter sido feito de barro, com a enxurrada a ponte ficou sem as cabeceiras, além de estar submersa pelo rio. A ponte está sem função para os moradores que se arriscam passando pela ponte pêncil – comenta. 


Nene salientou que fez contato com a Defesa Civil estadual para resolver a situação definitivamente assim que o nível do rio voltar ao normal.  

O prefeito disse ainda que nas próximas semanas será providenciada uma sala específica para o departamento de Defesa Civil municipal, onde serão instalados os equipamentos de monitoramento cedidos pelo órgão estadual.

Nível do Rio Itajaí-Mirim em Botuverá:
às 13h30: 5,32 metros
às 14h: 5,60 metros
às 14h30: 5,70 metros
às 15h30: 6 metros
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio