Semana da prevenção contra as DSTs inicia em Brusque

No sábado, 23 de novembro, a Praça da Cidadania recebeu o primeiro de seis eventos do Programa DST/AIDS

Semana da prevenção contra as DSTs inicia em Brusque

No sábado, 23 de novembro, a Praça da Cidadania recebeu o primeiro de seis eventos do Programa DST/AIDS

A semana que antecede o Dia Mundial da Luta Contra a AIDS, 1º de dezembro, começou com campanha de prevenção em Brusque. No sábado, 23, o Serviço de Assistência Especializada (SAE), promoveu testes rápidos de HIV, hepatite B, hepatite C e síflis no Centro de Serviços em Saúde na Praça da Cidadania. A população ainda foi informada sobre os métodos de prevenção por profissionais da saúde.Hoje, a campanha continua no mesmo local. 

A Prefeitura de Brusque disponibiliza 600 exames rápidos de cada doença para a população, totalizando 2400. Ao todo, serão seis eventos, e a expectativa do SAE é atender 100 pessoas por dia. Os testes rápidos e a orientação da comunidade irão acontecer também nos bairros durante a semana. A campanha encerra na sexta-feira, 29, na Praça da Cidadania. Será um evento especial com peça de conscientização do grupo SinoS Cia de Teatro. Haverá distribuição de materiais informativos sobre as DSTs e o público ainda poderá visitar a “Tenda das Emoções”, com “atividades dinâmicas e informativas”, afirma a psicóloga do evento, Juliana Cristina de Oliveira e Souza.

A psicóloga explica os passos do atendimento à população. “A primeira coisa que fazemos é tirar o sangue do paciente. Em seguida, ele segue para a entrevista onde fala de sua vida pessoal. Por fim, orientamos a pessoa sobre as doenças e como se prevenir”. O teste rápido demora cerca de 15 minutos para ficar pronto, enquanto o comum leva uma semana. Amanhã, 26, a campanha acontece no bairro Paquetá, quarta-feira volta para o SAE e quinta-feira ocorre no Residencial Jardim Sesquicentenário, no bairro Limeira.

Edições anteriores
Essa é a terceira edição do programa DST AIDS em Brusque. A primeira aconteceu em dezembro do ano passado, com 200 pessoas atendidas. Foram registrados quatro casos de síflis, um de AIDS, e um de hepatite B. A segunda edição ocorreu em julho, com 300 pacientes atendidos. Duas pessoas foram diagnosticadas com AIDS, duas com síflis e uma com hepatite C.

A enfermeira, Elaine Weirich, informou que no sábado, o evento fez parte do Novembro Azul e a ideia era só atender homens, mas como o movimento estava fraco, mulheres também foram atendidas. “A gente sempre divulga, mas o pessoal não vem muito. É difícil alguém se programar pra vir. Normalmente quem participa é porque está passando pelo local”, conta. 


Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio