Serviço de táxi será regulamentado em Guabiruba

Órgão de trânsito quer implantar legislação para organizar transporte individual de passageiros

Serviço de táxi será regulamentado em Guabiruba

Órgão de trânsito quer implantar legislação para organizar transporte individual de passageiros

A Coordenadoria de Trânsito de Guabiruba (Gbtran) deverá regularizar o serviço de táxi na cidade até o fim do ano. Existe uma lei municipal para a categoria, porém, ela não funciona na prática. O projeto de lei que tratará do tema está sendo confeccionado e será enviado para a Câmara de Vereadores nas próximas semanas.

O Município Dia a Dia noticiou no início do ano que taxistas de Guabiruba estavam trabalhando irregularmente em Brusque, conforme o sindicato da categoria. Este é um dos problemas que a falta de regularização causa e, além disso, a população fica exposta ao risco de que o motorista não seja habilitado corretamente.

Sestrem, que já trabalhou na Secretaria de Trânsito e Mobilidade (Setram) de Brusque, explica que o modelo utilizado no município será semelhante ao de Brusque, respeitando as peculiaridades locais. Na primeira reunião, inclusive, o diretor de Transportes da Setram, Luiz Henrique Blumer, participou para explicar como é o credenciamento na secretaria.

“O serviço de táxi estava meio solto, mas a maioria dos profissionais quer trabalhar dentro da lei”, explica Sestrem. Vários itens constarão no projeto, por exemplo, a caracterização dos carros, que será padronizada. Desta forma, a população poderá identificar quais carros são cadastrados como táxis. Os veículos também deverão ter o selo de vistoria atualizado.

Atualmente, Guabiruba tem 21 taxistas e três pontos de táxis oficiais: perto do supermercado Carol, próximo do supermercado Archer e outro ao lado da prefeitura. Com a regulamentação, a Gbtran avaliará se é necessário constituir novos pontos e os locais. O funcionamento dos táxis também será tratado. Os taxistas, por sua vez, terão de ter a documentação em dia.

“Isso vai unir o útil ao agradável. O taxista vai ter mais visibilidade e a população mais segurança”, diz o coordenador da Gbtran. Em Guabiruba, a Polícia Militar é que faz a fiscalização nas ruas e, para Sestrem, com o selo de vistoria os policiais terão mais recurso para garantir a segurança da população.
Sindicato quer diálogo

Modesto Bertoldi, presidente do Sindicato dos Taxistas de Brusque, também participou da reunião em Guabiruba porque a entidade que ele comanda é regional e abrange também o município. Segundo ele, dez taxistas guabirubenses estão registrados no sindicato.

“Em Canelinha, onde o sindicato também tem abrangência, também estão fazendo este processo de regularização. São João Batista e Nova Trento já fizeram”, explica. Ele afirma que é “muito bom” que a prefeitura tome esta atitude, mas alerta que o sindicato acompanhará de perto o processo.

O presidente explica que o gasto com a compra do taxímetro tem custo de R$ 1 mil para o profissional. Além disso, há o custo com o logotipo. “O sindicato vai participar para representar estes dez taxistas nas conversas”, explica. A entidade estuda maneiras de atrair os profissionais que não são sócios. O principal benefício é o acompanhamento para a documentação, diz Bertoldi.

Todas as conversas devem ser encerradas até agosto para, em setembro, o projeto de lei ser encaminhado à Câmara de Vereadores. Segundo Sestrem, a expectativa é que a nova legislação entre em vigor ainda em 2015.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio