Sessão sem muitas novidades na Câmara de Brusque

Reunião foi a última antes do recesso parlamentar que inicia no dia 17 e termina em 31 de julho

Sessão sem muitas novidades na Câmara de Brusque

Reunião foi a última antes do recesso parlamentar que inicia no dia 17 e termina em 31 de julho

  • Por Aline Wernke
  • 21:31
  • Atualizado às 14:14
  • +A-A
A reunião na Câmara de Vereadores de Brusque desta terça-feira, 10 de julho, foi de pouco assuntos novos debatidos na última sessão do semestre. A partir da próxima semana, os vereadores estão em recesso parlamentar até o dia 31 de julho.

Embora tenha sido aprovado de forma unânime diversos projetos, entre eles a concessão de título de cidadão honorário para seis pessoas, as discussões acontecerem por situações já abordadas.
Cidadão honorário
Foram aprovados a concessão de título de cidadão honorário para José Gamba Junior, Padre Alvino Introvini Milani, Edson Manoel da Silva, Nelson Cadore, Tiaraju Trindade e Terezinha Heiderscheidt Tholl.

A solenidade de entrega dos títulos acontece no dia 1º de agosto na Câmara de Brusque, às 19 horas e marca também os festejos de aniversário da cidade, comemorado em 4 de agosto.
Assuntos velhos
O primeiro a requentar assunto, foi o vereador Dejair Machado (PSD), que falou da visita do secretário de obras, Gilmar Vilamoski, ocorrida na sessão de 3 de julho. Na ocasião, entre os questionamentos feitos por Dejair, esteve a quantidade de ruas com pavimentação de paralelepípedos que receberam asfalto por cima. 

Nesta semana, o vereador destacou que a colocação do asfalto caracteriza valorização dos imóveis que estão localizados às margens das ruas. Por isso, deveria ocorrer cobrança, do contrário a prefeitura poderá incorrer com renúncia de receita. 

 – A Câmara tem a obrigação de alertar – salientou. 
Visita Ciro
Mas a polêmica da reunião, foi o pronunciamento do vereador Ademir Bráz de Sousa (PMDB), que falou da participação do deputado estadual, Ciro Marcial Roza (PSD), que aconteceu em dia 26 de junho. Ele disse que não fez questionamentos, pois àquela foi uma “sessão pastelão”, onde o teatro já estava montado. 

– Teve teatro, circo, plateia de programa de televisão, ‘ciretes’ e ‘ciristas’. O que se viu foi um grande comício, que tive que engolir. Por isso, resolvi não perguntar – argumentou.

** Saiba mais na edição impressa do Jornal Município Dia a Dia de quarta-feira, 11 de julho. 
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio