Sintricomb intensifica fiscalização para diminuir acidentes de trabalho

Desde janeiro, 25 cerâmicas e 61 construtoras já receberam as visitas técnicas

Sintricomb intensifica fiscalização para diminuir acidentes de trabalho

Desde janeiro, 25 cerâmicas e 61 construtoras já receberam as visitas técnicas

Com o objetivo de diminuir os índices de acidente de trabalho, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque (Sintricomb) tem reforçado as vistorias na região. Os trabalhos ocorrem em edificações em obras e indústrias cerâmicas de Brusque, Canelinha e São João Batista.

De acordo com o presidente do sindicato, Izaias Otaviano, desde janeiro, 25 cerâmicas e 61 construtoras já receberam as visitas técnicas. Em Brusque, as vistorias ocorrem diariamente e, nas outras cidades, pelo menos, duas vezes na semana.

Ele revela que um dos problemas mais frequentes encontrados se refere aos casos funcionários trabalhando em locais altos sem o uso de equipamento de proteção. “É a primeira causa de morte na construção civil. Então, trabalhamos muito forte para combater esse trabalho, fazendo com que as pessoas utilizem os equipamentos necessários”, diz.
Irregularidades
Apesar de o Sintricomb realizar um trabalho de vistoria e orientação, quando se verifica uma irregularidade a empresa é chamada no sindicato. “Ela apresenta as documentações referentes àquele problema, damos um prazo para arrumarem, colocar tudo dentro da norma e voltamos para fiscalizar”, detalha o presidente, Izaias Otaviano. 

Nos casos em que o problema permanece, o caso é encaminhado aos órgãos competentes, como Ministério do Trabalho e Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest). “Eles têm sido grandes parceiros nossos nessa luta”, elogia. Nos casos em que apresentam riscos à vida do trabalhador e de pessoas que vivem em volta daquela obra, o Sintricomb recorre ao judiciário. “Pedimos uma medida cautelar para interditar a obra”, acrescenta. 

De acordo com o presidente do sindicato, a primeira causa dos acidentes são as quedas de altura, seguidas por choques elétricos. “Esse é um índice nacional e, em Brusque, não é diferente”, comenta Otaviano. Ele revela que somente neste ano, a cidade registrou, pelo menos, seis quedas de trabalhadores na construção civil. 

>> A matéria completa está disponível na edição do jornal Município Dia a Dia de quarta-feira, 12 de fevereiro

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio