Situação financeira da Acapra piora e entidade reduzirá atendimentos

Dívida hoje ultrapassa R$ 61 mil; veja formas de ajudar a associação

Situação financeira da Acapra piora e entidade reduzirá atendimentos

Dívida hoje ultrapassa R$ 61 mil; veja formas de ajudar a associação

A Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Acapra) precisará reduzir os atendimentos para apenas casos emergenciais. A medida é uma forma de diminuir a dívida da entidade, que hoje ultrapassa R$ 61 mil. Nos três primeiros meses deste ano, a Acapra teve um aumento nos débitos de cerca de R$ 10 mil mensais, devido aos atendimentos em clínicas veterinárias.

A presidente Lilian Dressel conta que no fim e começo do ano é o período de maior abandono dos animais, o que impacta em maior registro de atropelamentos e doenças.

Ela calcula que a média é de um atropelamento ao dia. Além disso, os reflexos da situação econômica do Brasil ainda atingem os brusquenses, fazendo com que alguns donos de bichinhos precisem do auxílio da Acapra para cuidar dos seus cães e gatos.

“Apesar de termos descontos nas clínicas parcerias, o abandono nestes últimos meses foi muito grande. Mesmo com os pedágios e com outras formas de doação, nossa dívida está aumentando”, diz.

Em média, para tratar de um cão atropelado, os gastos chegam a cerca de R$ 1 mil. Em janeiro, fevereiro e março, a entidade chegou a gastar até R$ 30 mil nas clínicas, o que em outros períodos não ultrapassava R$ 15 mil. Hoje, a dívida com as veterinárias é de R$ 19 mil.

“Resolvemos tomar alguma atitude antes que a dívida se torne maior. Se permanecer assim chegaremos na metade do ano com uma dívida de R$ 100 mil”, afirma Lilian, que destaca que as clínicas somente atenderão a partir de agora casos emergenciais. “É uma maneira de reduzirmos os custos. Castração, por exemplo, não vamos atender mais enquanto não saldarmos um pouco das contas. São muitos casos para poucos recursos”.

A presidente da entidade afirma que a falta de repasses da Prefeitura de Brusque também colabora para a situação. Por ano, o governo repassa à Acapra R$ 29 mil. Até abril, a associação ainda aguarda uma parcela de 2016, que está em atraso. Além disso, existe a possibilidade do convênio não ser renovado em 2017.

“O ideal seria termos uma renda fixa mensal garantida, o que não temos. Hoje temos mais de 22 mil curtidas na nossa página no Facebook, se cada uma destas pessoas doasse R$ 1 real já teríamos R$ 22 mil. Precisamos de mais pessoas envolvidas na causa, porque comentários bonitos são fáceis, porém, precisamos de mais atitudes, independente do valor”, afirma Lilian.

Rifa

Com o intuito de arrecadar valores para continuar mantendo a entidade, a Acapra lançou a Rifa do Dia das Mães. Os prêmios ainda serão definidos e o sorteio acontecerá no dia 13 de maio. A cartela custará R$ 20 e o valor de um número custa R$ 2.

Com a mudança climática e a chegada de temperaturas mais amenas, a comunidade também pode ajudar os animais com cobertores. Eles podem ser deixados nas feirinhas da Acapra e nas clínicas veterinárias parceiras: Zeca Clínica Veterinária, Vita Vet e Clínica Cãopanheiro.


Outras formas de ajudar

• Depósito na conta corrente da Acapra: Banco do Brasil, Ag. 5233-7 e conta 362763-2
• Doação com boleto ou cartão de crédito/débito. Entre no site da Acapra e clique no link do PagSeguro que aparece em verde no canto esquerdo inferior da tela
• Doação nos cofrinhos em diversos estabelecimentos da cidade
• Doação nas clínicas parceiras: Zeca Clínica Veterinária, Vita Vet e Clínica Cãopanheiro
• Contribuição mensal pela conta do Samae, solicitando à autarquia

Mais informações no WhatsApp: 999-661-741

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio