Entrando em seu último ano do terceiro mandato como deputado estadual, Serafim Venzon (PSDB) tem sido, nas últimas eleições, o único representante de Brusque na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

Nessa entrevista, ele fala sobre os recursos direcionados para Brusque e região e também sobre as negociações e alianças para as eleições deste ano, quando terá que decidir, novamente, para que cargo deseja concorrer, assim como projetos que patrocina na Alesc.

Atendimento a cardíacos em Itajaí
“Atualmente, todas as pessoas do SUS que precisam de intervenção cardíaca urgente, como cateterismo, o ideal é fazer isso em uma hora. Esse tempo, se for daqui a Blumenau, mesmo com a ambulância, a gente não consegue vencer as barreiras em uma hora, se for pra Florianópolis, pior ainda. Hoje, Brusque, Botuverá e Guabiruba, estão pactuadas com o Instituto de Cardiologia de Florianópolis.

Tanto Blumenau quanto Florianópolis estão tecnicamente muito distantes para mantermos essa pactuação, ainda mais que em Itajaí o Hospital Marieta Konder Bornhausen já tem esse serviço para Navegantes, Itapema. Agora, concluindo a SC-486, de ambulância conseguimos chegar até o Marieta em menos de 40 minutos, e vamos conseguir salvar muita gente. Hoje, muitas pessoas morrem de infarto do miocárdio em Brusque, são mais de 150 pessoas por ano. Talvez se tivesse feito o tratamento prévio, poderiam estar vivos.

Já fizemos  o contato com a Secretaria de Saúde, que concorda. O Instituto de Cardiologia de Florianópolis, que faz atualmente para Brusque, admite que não tem condições de fazer porque lá a UTI está sempre ocupada e o Marieta aceita fazer, agora só falta encaminhar o processo e oficializar essa mudança. Queremos que esse benefício  esteja disponível para todos os brusquenses.

Já vamos ter o serviço de cateterismo com a reabertura da maternidade em Brusque, mas esse serviço será para particulares e convênios, claro que gostaríamos que fosse pelo SUS também, mas tem um custo, então, enquanto não conseguirmos fazer esses tratamentos em Brusque, vamos fazer em Itajaí”.

Eleições 2018
“O PSDB está muito bem. Nacionalmente temos um candidato com muita experiência, já foi governador de São Paulo três vezes, tem uma habilidade grande para lidar com todos os tipos de controversas, adversidades, essa é uma habilidade que não pode faltar nunca ao político. O Geraldo Alckmin tem isso.

A nível de estado temos dois senadores, dois deputados federais, quatro deputados estaduais, temos um grande número de candidatos, teoricamente, temos uma chapa completa. O PSDB está preparado para as eleições.

Eu, particularmente, sou o deputado estadual mais votado do meu partido, sou membro do diretório, naturalmente que de minha preferência sou candidato a reeleição, mas também coloquei o meu nome à disposição para ser candidato a senador ou a vice-governador. Em respeito ao Paulo Bauer, que já se lançou candidato a governador. Eu sou um soldado do meu partido, mas principalmente, um bom soldado do meu povo. Vai depender das articulações do meu partido, se depender exclusivamente da minha vontade, estou feliz como deputado estadual”.

Trabalho da Alesc em 2017
Tenho ajudado muito o estado votando matérias polêmicas, com muita independência, sem estar muito preocupado com resultado de eleições futuras e, por conta dessa postura minha, nós deixamos o estado em excelentes condições.

Renegociamos a dívida e, essa renegociação, requer um compromisso do estado conosco. Por exemplo, congelar as despesas do futuro, tem muita gente que é contra, mas com essa renegociação vamos ter R$ 3 bilhões a mais todo ano.

Acertamos também a questão da Celesc. Para ter estrutura, a Celesc precisa de recursos, a terceira subestação de Brusque precisa disso, e nós autorizamos o governo a ser o fiador da Celesc que emprestou R$ 1,2 bilhão.

A Justiça tinha R$ 6 bilhões em depósito judicial e esse dinheiro está no banco.  25% desses R$ 6 bilhões vamos ceder para as prefeituras para pagar precatórios e outros 25% para o estado para também pagar precatório, quer dizer, jogamos o dinheiro que está na mão do banco para a sociedade”.

Expectativas para a eleição
“Sempre vai haver uma esquerda e temos que tomar cuidado para não deixar crescer. Existe essa preocupação que se não tomar cuidado, qual será o final do filme do Brasil? Será a Venezuela?

O povo brasileiro vai ter que se conscientizar disso. Na hora de escolher um representante, precisa ter responsabilidade, tem que pensar nos filhos, netos, como será o futuro.

A gente não consegue escolher o adversário, mas o Geraldo Alckmin já foi governador três vezes. São Paulo hoje é o estado que é melhor em educação, em segurança, em saúde, em desenvolvimento econômico e social. Em São Paulo tudo funciona bem porque existe uma estrutura política, um governo que está há mais tempo e a nossa expectativa é que o Brasil seja administrado ouvindo as lideranças, partidos e com a experiência do Alckmin.

Na eleição deste ano, esperamos que haja a manifestação das pessoas bem intencionadas, das que querem um país melhor, que não vão só para ter destaque como político, mas pra executar um projeto”.

Recursos para região
A prefeitura está vendo várias ruas que quer pavimentar ou melhorar. Eu já disse ao prefeito Jonas Paegle, vamos arrumar dinheiro do Fundam e repartir o recurso em várias ruas, colocar R$ 100 mil, R$ 150 mil para cada rua, para ajudar a executar as obras. Com isso, conseguimos ao invés de viabilizar uma rua, fazer várias.

O Hospital Azambuja foi credenciado a fazer cirurgias oncológicas, já tem a autorização, falta finalizar a parte burocrática com o Ministério da Saúde e também está no orçamento a reforma do centro cirúrgico do hospital. Já temos a confirmação do governador, o hospital já tem projeto, falta somente o dinheiro para fazer. Mas está tudo encaminhado para acontecer”.

Erros e acertos do governo Colombo
“Os acertos dá para citar muitos, eu preferiria citar somente os acertos. Reforma administrativa que aconteceu há dois anos, reforma da previdência estadual, na educação previmos um investimento acima de R$ 2 bilhões além daquilo que era gasto. Pavimentação de rodovias novas, revitalização de rodovias, são projetos que impactam muito no desenvolvimento das pessoas.

Algumas coisas, claro, poderiam ser feitas melhores, mas acho que vale muito mais destacar as coisas boas”.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980