Tema da Campanha da Fraternidade, superação da violência será abordada na região

Padres destacam que as agressões acontecem, muitas vezes, dentro de casa

Tema da Campanha da Fraternidade, superação da violência será abordada na região

Padres destacam que as agressões acontecem, muitas vezes, dentro de casa

A Igreja Católica elegeu “Superação da Violência” como tema da Campanha da Fraternidade de 2018. Assunto atual devido aos alarmantes índices de criminalidade do Brasil, ele será abordado até o fim deste ano nas paróquias de Brusque.

À primeira vista, o combate à violência parece remeter à situação nas grandes cidades e capitais. No entanto, padre Adilson José Colombi, vigário da Paróquia São Luís Gonzaga, explica que o assunto é mais profundo.

“A maioria dos atos de violência não estão nas drogas, é no ambiente doméstico”, avalia. São crimes que ficam muitas vezes impunes, cujas vítimas se calam porque o agressor, às vezes, é parente. O sacerdote destaca que isso acontece também em Brusque.

Padre Adilson ressalta que a campanha deste ano revela que as maiores vítimas de violência são mulheres, crianças e idosos. Ela convida os fiéis a repensarem a cultura da violência e mudar seus hábitos.

Aplicação
A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) definiu o tema da campanha e enviou um documento às dioceses de todo o país. As paróquias, por consequência, têm a tarefa de trabalhar a questão da violência junto com os fiéis.

“Pastorais, movimento e paróquias são convidados a tratar do tema da paz nos seus encontros”, explica o padre Carlos Chiquim, da Paróquia São Judas Tadeu, no bairro Águas Claras. Os sacerdotes também são orientados a tratar do tema da Campanha da Fraternidade nas celebrações, sobretudo neste tempo de Quaresma.

Mais envolvido nas questões sociais, a Igreja Católica também sugere a fiéis e religiosos que se engajem em conselhos comunitários. Em Brusque, comenta o padre Carlos, a comunidade participa do Grupo de Proteção da Infância e da Adolescência (Grupia), por exemplo. Há, ainda, os grupos de novenas.

Formação
Local de aprendizado contínuo, o Seminário de Azambuja também é envolvido na Campanha da Fraternidade de 2018. O reitor Francisco de Assis Wloch diz que a questão da violência será debatida durante o ano com os seminaristas.

“Aqui, são internos. Esses aspectos são sempre lembrados no dia a dia, porque o objetivo geral é a maior conscientização”, diz o reitor do seminário.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio