Temporal causa alagamentos e deslizamentos em Brusque

Segundo Defesa Civil, foram 30 mm de chuva ontem

Temporal causa alagamentos e deslizamentos em Brusque

Segundo Defesa Civil, foram 30 mm de chuva ontem

Rua George Boettger, Santa Terezinha: a cada chuva, um alagamento – Crédito: Sarita Gianesini
Na noite de quarta-feira, 21, a dona de casa Inês Crespi viu mais uma vez a rua onde mora há mais de 35 anos alagar. Inês conta que a rua George Boettger, bairro Santa Terezinha, sempre alagou. Mas depois da enchente de 2008, parece que a cada alagamento a água vai mais alto: a água vem de todos os lados, desce da rodovia Antônio Heil, da rua Santos Dumont. 
Às vezes a água chega até a garagem, que fica cerca de um metro acima do nível da rua. 
– Aqui estamos todos ficando doentes de preocupação. Fica um rio isso aqui. A gente não pode sair, não pode entrar em casa, não pode nada porque tem que ficar cuidando da casa – conta. 
A filha de dona Inês, Cinara Crespi, 39 anos, explica que o problema já foi levado para o delegado do Orçamento Participativo do local, mencionando os bueiros entupidos. No entanto, o poder público ainda não tomou nenhuma providência. 
O aposentado Adilson Habiztreuter, 63 anos, tentava limpar a lama acumulada no entorno da casa da sogra que se acumula a cada chuva. 
– Estamos esperando a obra do PAC para resolver isso. O grande problema é o colégio: como é que a gurizada faz para chegar lá na escola?
A costureira Maria Alves de Souza, 26 anos, tentava desviar da lama com o filho, Kelvin Eduardo de Lima, 9 anos, para chegar a Escola de Educação Básica Santa Terezinha. Maria conta que na quarta-feira, 21, estava no em uma reunião no Caique e ficou isolada com a chuva que encheu a rua com cinco minutos de chuva. 
– É ruim, não dá para passar. Meu pai me traz para a aula de carro, o mais perto possível da escola, mas nem sempre dá e aí, é enfrentar a lama – conforma-se o menino. 
Deslizamento

Uma barreira caiu na casa de Verônica de Gasperi, bairro São Luiz – Crédito: Sarita Gianesini
Para a dona de casa Verônica de Gasperi, 55 anos, o susto veio quando uma pequena barreira caiu nos fundos da casa,  que fica na rua Otto Eckert, bairro São Luiz. 
– Ano passado perdi tudo com a enchente. Ontem fiquei desesperada, porque agora vem o barranco em cima da minha casa. 
Segundo Verônica, a Defesa Civil foi acionada, o Corpo de Bombeiros esteve no local e constatou que não havia risco. 
O que dizem o órgãos responsáveis
O diretor da Defesa Civil, Evandro de Mello do Amaral, informou que em visita ao local, foi constatado que há uma infiltração no terreno vizinho à casa de Verônica de Gasperi, ocasionado por uma construção. O diretor acrescenta que não há risco eminente e que os vizinhos tem que entrar em acordo para realizar uma obra de contenção e evitar que o barranco continue a ceder.
Já o Secretário de Obras, Gilmar Vilamoski, declarou que as equipes de limpeza estavam espalhadas pela cidade. Quanto aos alagamentos, Vilamoski observa que as obras do PAC devem solucionar o problema. 
Ainda na tarde de quinta-feira, 22, a rua George Boettger foi limpa.
 
*Notícia atualizada às 15h39  de quinta-feira, 22 de março.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio