Tradicional no futsal feminino, Barateiro terá equipes de base e escolinhas no masculino

Clube multicampeão aposta nos atletas homens para desenvolver ainda mais o esporte em Brusque

Tradicional no futsal feminino, Barateiro terá equipes de base e escolinhas no masculino

Clube multicampeão aposta nos atletas homens para desenvolver ainda mais o esporte em Brusque

Depois de captar, revelar e formar alguns dos principais nomes do futsal feminino no Brasil, o Barateiro vai apostar de vez nos atletas homens a partir do próximo ano. O projeto que já teve um início acanhado neste ano será reforçado a partir de 2018, com a formação em definitivo das equipes Sub-16, Sub-17 e Sub-18.

Assim como já vêm fazendo há anos no feminino, o Barateiro deverá representar Brusque nas principais competições de futsal masculino da Fesporte, como os Joguinhos Abertos e a Olimpíada Escolar (Olesc). O município voltará, portanto, a contar com equipe em uma das modalidades mais prestigiadas do público catarinense.

Além das disputas da maior entidade esportiva do estado, o grupo a ser formado participará dos campeonatos estaduais de cada categoria. A intenção do clube, presidido por Daniela Civinski, a Dani, é plantar uma semente que pode gerar bons frutos no futuro e – assim como foi com o elenco das dissidentes Amandinha, Diana, Jhennif, Nega e tantas outras atletas já bem encaminhadas no cenário do futsal brasileiro – amadurecer o time masculino, formando o que seria um grupo adulto de qualidade.

A modalidade tem visibilidade em Santa Catarina e é rentável. Um exemplo é a Liga Nacional de Futsal, que das 17 equipes participantes, cinco são catarinenses: Jaraguá, Concórdia, Joaçaba, Tubarão e Joinville – este último, inclusive, semifinalista da competição.

Necessidade de investimento
O plano está articulado, mas ainda faltam as certezas de que o clube terá estrutura financeira para manter as atividades. Para isso, segundo Dani, a busca pelos recursos tomou maior proporção do que nos anos anteriores. “Estamos procurando todos os meios de investimento público, principalmente com a Fundação Municipal de Esportes (FME) e através de projetos de incentivo ao esporte, mas também abrimos a possibilidade de patrocínio da iniciativa privada”.

O patrocínio, portanto, deixa de ser um apoio e passa a ser um investimento das marcas que terão como retorno a publicidade nas camisas do Barateiro. Há muitas competições as quais o time disputará durante todo o ano, já que o futsal masculino conta com a participação de dezenas de equipes somente no estado. Dani e a coordenadora da equipe, Caroline Bezerra, estão visitando as empresas e apresentando os espaços no uniforme que servirão como espaço de merchandising.

Segundo Dani, grande parte da equipe já foi formada por atletas locais, mas ainda haverá um complemento com a contratação de pelo menos cinco jogadores de outros cantos do país. “Só com os nossos meninos nós já iríamos longe, mas o título talvez não viesse. Por isso a necessidade de reforçar com jogadores de qualidade e experiência que possam agregar à equipe, mas 80% dos meninos são de Brusque”.

Com a vinda destes atletas de fora, Dani revela que também será necessário o aluguel de um espaço para a moradia, assim como é feito com o time feminino.

Esporte para todos
O esporte de rendimento, visando a formação de atletas profissionais, não será o único realizado pelo Barateiro que também não quer deixar de lado a parte social do esporte. “Vamos desenvolver escolinhas na cidade. O futsal está em alta e sempre tivemos muita procura, principalmente no masculino”, explica.

Para que esse trabalho seja realizado, porém, são igualmente necessários recursos financeiros, já que envolve a contratação de profissionais. Os polos serão em escolas do município, e o Barateiro tenta também ter a Arena como um dos pontos da escolinha.

O clube disponibiliza o número de contato para possíveis parceiros: (47) – 996-459-333, tratar com Caroline Bezerra.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio