TRE-SC proíbe eleição indireta com novos candidatos, em Brusque

Tribunal determina que eleição suspensa no ano passado seja retomada, com candidatura única do prefeito interino Prudêncio Neto

TRE-SC proíbe eleição indireta com novos candidatos, em Brusque

Tribunal determina que eleição suspensa no ano passado seja retomada, com candidatura única do prefeito interino Prudêncio Neto

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) encaminhou notificação à 86ª Zona Eleitoral de Brusque, no início da noite desta quarta-feira, 25, determinando a continuidade da eleição indireta (quando os vereadores escolhem o prefeito), que havia sido suspensa em abril de 2015.

A determinação do desembargador Cesar Mimoso Ruiz Abreu é de que a Câmara de Vereadores deve prosseguir com o processo eleitoral suspenso por liminar.

Leia também: TSE determina realização de eleição indireta em Brusque

A justificativa do magistrado é que, em caso de revogação de medidas liminares, a regra é que se volte ao estágio anterior, ou seja, que seja retomada a eleição que já estava em curso. À época, o único candidato era o atual prefeito interino Roberto Prudêncio Neto (PSD), com Danilo Rezini (PMDB) de vice, após a desistência do empresário Ingo Fischer (PP) às vésperas da eleição.

Como a notificação foi enviada para o Cartório Eleitoral após o encerramento do expediente, a Câmara será oficialmente informada somente na segunda-feira, 30, devido ao feriado estendido. O presidente interino da Câmara, Jean Pirola (PP), foi informado da decisão pela reportagem do Município Dia a Dia, por volta das 22h30 desta quarta-feira, 25.

“Assim que formos notificados, vamos obedecer a determinação do TRE-SC”, afirma. No entanto, ele diz que a organização do processo eleitoral demandará tempo. “Não é possível continuar o processo do ponto em que parou ano passado. Precisa ser feito um novo calendário eleitoral, são vários os procedimentos envolvidos”.

Pirola, que já havia deixado claro que é favorável a permitir novas candidaturas, diz que a decisão “frustra a democracia”. “Estamos em um período democrático, de fazer valer a democracia de todas as formas. Frustra em não poder dar a liberdade a outros partidos e à população em geral”.

PP tentará indicar candidato
Com a decisão do TRE-SC, o PP deve protocolar na Câmara pedido de substituição da candidatura de Ingo Fischer. O argumento é de que, na época, o partido não foi notificado pela mesa-diretora para se manifestar sobre a desistência de Ingo, para, querendo, indicar um substituto. Portanto, o partido buscará substituir a candidatura de Fischer por uma nova.

“O PP tem reunião na segunda-feira, quando vamos decidir. Vamos protocolar um requerimento na Câmara. Sou contra a judicialização, mas vamos ver o que o partido decide”.

Caso o PP consiga substituir a candidatura de Ingo Fischer, o empresário José Luiz Cunha, o Bóca, ex-secretário de Turismo na gestão Roberto Prudêncio, deve disputar a eleição.

Segundo Edson Machado, presidente do PP, o interesse pela candidatura surgiu do próprio Bóca, que manifestou isso ao partido, o qual o endossou. O presidente da sigla afirma que ainda estão sendo discutidos apoios à candidatura, mas que as perspectivas são boas.

Bóca, questionado sobre a candidatura antes de saber da decisão do TRE-SC, afirma que “fica orgulhoso de ser a indicação do partido”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio