Conteúdo exclusivo para assinantes

Tribunal de Justiça nega pedido de proprietário da FIP e mantém leilão da Renaux

Desembargador considerou que decisão da juíza da Comarca de Brusque foi acertada

Tribunal de Justiça nega pedido de proprietário da FIP e mantém leilão da Renaux

Desembargador considerou que decisão da juíza da Comarca de Brusque foi acertada

O desembargador Jaime Machado Junior negou provimento ao mandado de segurança apresentado pela Nobre Administradora de Bens – ligada à FIP. A decisão foi publicada nesta quarta-feira, 27, e com isso mantém o leilão dos bens da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux para este mesmo dia, à tarde.

A Nobre havia apresentado o mandado de segurança porque considera que havia dado o lance dentro do prazo estipulado à época do leilão, ou seja, R$ 25 milhões. No entendimento da empresa, não havia motivo para que a Justiça de Brusque aceitasse uma nova proposta da Brashop – Administradora de Shoppings Centers, ligada à Havan.

Depois da apresentação da oferta de R$ 25 milhões, a Brashop entrou no páreo.  A Nobre subiu o valor para R$ 35 milhões, e a concorrente ofertou R$ 36 milhões. Tudo isso aconteceu após o primeiro prazo estipulado.

Contudo, Machado Junior, relator da matéria, considerou que o juiz de direito tem a prerrogativa de aceitar novas alternativas, com o objetivo de buscar a melhor satisfação dos credores da empresa falida.

O desembargador também escreveu que nada impede que a Nobre cubra a proposta da Brashop, no novo leilão que ocorrerá nesta quarta à tarde. Conforme já determinado pela juíza Clarice, os lances serão dados simultaneamente.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio