Tumores lideram a lista de causas de mortes em Brusque

Dos 323 registros de óbito no município em 2014, mais de 20% foi causado por neoplasias

Tumores lideram a lista de causas de mortes em Brusque

Dos 323 registros de óbito no município em 2014, mais de 20% foi causado por neoplasias

1As neoplasias, mais conhecidas como tumores, estão entre as principais causas de mortes de brusquenses no ano passado. O levantamento foi divulgado pelo Observatório Social de Brusque (Osbr), com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a pesquisa, em 2014 foram registrados 323 óbitos em Brusque, sendo 72 deles por tumores, ou seja, mais de 20% do total. As doenças do aparelho circulatório e do aparelho respiratório também estão entre as que mais mataram os brusquenses, com 69 e 48 óbitos, respectivamente.

Estas três doenças também foram as que mais mataram os guabirubenses e botuveraenses no ano passado. Em Guabiruba foram registrados 12 mortes por doenças do aparelho circulatório, 11 devido às doenças do aparelho respiratório e mais nove mortes por tumores. Já em Botuverá foram 15 mortes, sendo cinco delas por tumores.

O levantamento mostra ainda que os homens morreram mais do que as mulheres em Brusque. Foram registrados 177 óbitos masculinos, contra 146 femininos. Guabiruba e Botuverá também registraram mais óbitos de homens.

Hereditariedade e hábitos de vida contribuem

A médica patologista Karla Patrícia Casemiro afirma que as neoplasias podem ser benignas ou malignas. Ela explica que entre as causas que podem influenciar no desenvolvimento de um tumor maligno está a hereditariedade. “São mutações no DNA que podem trazer isso de outras gerações e leva a desenvolver um tumor maligno ou não, um exemplo é o câncer de mama, existem mutações nos genes que são passadas para as próximas gerações, por outro lado, ter essa mutação não quer dizer que, necessariamente, vai desenvolver a doença”.

Além da hereditariedade, os fatores externos também podem contribuir para o aparecimento da doença. “Existem agentes externos, como estilo de vida, alimentação, exposição a agentes cancerígenos, desde alimentos industrializados, conservantes, corantes, produtos químicos, tudo entra na conta e pode contribuir para o desenvolvimento dos tumores”, diz.

A patologista afirma ainda que os tumores malignos não-hereditários são causados por novas mutações de DNA influenciadas por fatores que podem ser externos ou internos. “Alguma coisa que faz com que a célula se divida errada e, a partir daí, o clone dessa célula errada, que seria o tumor maligno, passa a se dividir indefinidamente produzindo os tumores e dependendo do local, do órgão, da idade, do tempo descoberto, do estágio, o tratamento pode ser eficaz ou não”.

“Estilo de vida, alimentação, exposição a agentes cancerígenos, desde alimentos industrializados, conservantes, corantes, tudo pode contribuir para o desenvolvimento dos tumores” Karla Patrícia Casemiro, patologista

A médica destaca que nos últimos anos, o número de casos de tumores malignos em Brusque tem aumentado. “Um dos motivos deste aumento é o diagnóstico precoce, os pacientes estão levando mais em conta a prevenção, não estão mais esperando sentir alguma coisa para procurar o médico, ter o diagnóstico precoce de neoplasisas malignas em estágios iniciais, o tratamento é mais eficaz e, em alguns casos, pode levar a cura”.

De janeiro até novembro, foram notificados 370 casos de câncer em Brusque. “A maior incidência em Brusque é o câncer de pele, seguido pelo câncer de colo de útero, próstata e pulmão”, diz a patologista.

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio