Ubam faz reivindicações à Prefeitura de Brusque

Entidade, que congrega várias associações de moradores, levou pauta ao conhecimento do prefeito

Ubam faz reivindicações à Prefeitura de Brusque

Entidade, que congrega várias associações de moradores, levou pauta ao conhecimento do prefeito

A União Brusquense das Associações de Moradores (Ubam) se reuniu com o prefeito de Brusque, Jonas Paegle, e o vice Ari Vequi, na quinta-feira, 15. No encontro, os representantes da entidade apresentaram uma extensa pauta de reivindicações, sobre variados assuntos, à prefeitura.

De acordo com o presidente da Ubam, Juarez Graczcki, a pauta de demandas foi construída pelas associações dos bairros de Brusque. Cada uma levou o que considera mais importante no momento.

Um exemplo é a construção das calçadas na rua Bulcão Viana, que foi solicitada à Secretaria de Obras. O diretor-geral Nik Imhof também participou da reunião e ficou a par das reivindicações.

A Ubam também solicitou a execução de obras de drenagem no bairro Steffen. Outro pedido foi feito em relação à manutenção dos pontos de ônibus e outras obras.

Segundo o presidente da entidade, a lista de reivindicações é longa. Algumas coisas já estão em andamento e outras ainda serão executadas pela prefeitura. Foram três horas de conversas.

Proibição de álcool
O presidente da entidade também manifestou apoio ao projeto de lei que visa proibir o consumo de álcool e o som alto nas praças de Brusque. “Não é nem legal, nem moral, é uma questão de necessidade”, afirma Graczcki.

Para ele, não há como deixar para organizar a cidade somente no futuro. O projeto, na visão de Graczcki, é um começo.

O presidente da entidade diz que a prefeitura acertou ao regulamentar os ambulantes vendedores de alimentos, o que ficou conhecida como a Lei dos Cachorrões.

Possibilidades
O prefeito avalia positivamente a reunião. “É importante que a sociedade se reúna e venha ao gabinete discutir as necessidades. Isso ajuda a administração a melhorar as condições de mobilidade, drenagem e outras particularidades”, diz Paegle.

Apesar de avaliar positivamente, o prefeito não sinaliza quanto a prazos para o atendimento das reivindicações. Ele afirma que irá esperar a arrecadação do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e a negociação salarial com o servidores para ver o que será possível executar.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio