Unidades de saúde de Brusque possuem diferentes horários de agendamento; veja caso a caso

Secretaria voltou atrás na decisão de padronizar horários de marcação de consultas a pedido dos conselhos comunitários

Unidades de saúde de Brusque possuem diferentes horários de agendamento; veja caso a caso

Secretaria voltou atrás na decisão de padronizar horários de marcação de consultas a pedido dos conselhos comunitários

Brusque possui hoje 23 Unidades Básicas de Saúde (UBS), espalhadas pelos bairros do município. Porém, muitos usuários dos postos são, às vezes, surpreendidos pelas diferenças entre uma unidade e outra. Embora os atendimentos sejam realizados em horário padrão – das 8h às 12h e das 13h às 17h -, a maneira como cada uma organiza os agendamentos difere.

O secretário de Saúde, Humberto Fornari, explica que, no início da gestão, a ideia era padronizar a marcação de consultas em todas as UBS brusquenses. Porém, ao iniciar a implantação do projeto, a secretaria deparou-se com comunidades que refutaram a decisão.

“Organizamos os atendimentos para agendamento de acordo com as necessidades que cada comunidade nos apresenta. Há bairros como o Dom Joaquim, por exemplo, que tem a marcação mensal, enquanto em outras comunidades é semanal ou diária. Dependemos e fazemos acordos com os centros comunitários”, afirma o secretário. “Para mim foi uma surpresa. No meu entendimento, faríamos uma escala que seria distribuída entre todas as comunidades. Porém, em 2017, percebemos que cada local tem seus hábitos e sua cultura na maneira de buscar o atendimento médico.”

O secretário frisa que a única diferença entre as unidades de saúde é a maneira como é feito o agendamento das consultas. “Uma coisa é a marcação, maneira como o posto de saúde funciona, outra é o atendimento fornecido pela unidade.” Ele ressalta que o atendimento, tanto para doenças crônicas quanto na emergência, é padrão em todos os postos.

“O modo como são feitas as marcações de consultas do mês passam por avaliação dos centros e conselhos comunitários de cada região. Mas, se não há representatividade da comunidade, é a própria equipe que discute as melhorias no serviço”, explica.

Quando uma comunidade não possui representantes, quem verifica o funcionamento e identifica as melhorias necessárias na unidade é a própria equipe atuante no local. Para isso, são realizadas reuniões regulares para debater o funcionamento interno do posto de saúde.

Treinamentos regulares
Quinzenalmente, todas as unidades de saúde do município interrompem o atendimento externo para participarem de treinamentos, capacitações e reuniões de equipe. Essas paradas acontecem na primeira e terceira quartas-feiras do mês, no período vespertino.

Fornari explica que esses treinamentos são uma prerrogativa do Ministério da Saúde como estratégia das equipes que atuam na Saúde da Família. Além das reuniões quinzenais, são também realizadas atividades mensais focadas em diferentes especialidades médicas.

“Já tivemos palestras sobre cardiologia, reumatologia, psiquiatria e várias outras. Estamos sempre trazendo mais apoio e suporte técnico, teórico e científico aos nossos médicos generalistas. A equipe está em constante treinamento. Não tanto quanto gostaríamos, mas nem tão pouco quanto muita gente pensa”, diz.

Até o final deste ano, todas as unidades passarão por capacitações em todas as especialidades.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio