Unifebe instala primeiro Marco Geodésico de Brusque

Pontos com informações de latitude, longitude e altitude será utilizado por engenheiros e demais profissionais

Unifebe instala primeiro Marco Geodésico de Brusque

Pontos com informações de latitude, longitude e altitude será utilizado por engenheiros e demais profissionais

No sábado, 17, os acadêmicos e professores do curso de Engenharia Civil da Unifebe construíram em frente à instituição o primeiro Marco Geodésico – pontos com informações precisas de latitude, longitude e altitude – de Brusque e região.

O marco poderá ser utilizado gratuitamente por engenheiros, arquitetos, topógrafos, agrimensores e demais profissionais da área.

A construção do “monumento” seguiu algumas etapas, que devem ser finalizadas no primeiro semestre de 2019 com a homologação junto ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão reúne informações de estações de referência, com os seus respectivos valores de coordenadas e dados auxiliares, que constituem o Sistema Geodésico Brasileiro (SGB).

O coordenador do curso de Engenharia Civil da Unifebe, Jaison Homero de Oliveira Knoblauch, enfatiza que a demanda pelo marco geodésico é antiga. Para a realização da primeira etapa da implantação contou-se com orientações do IBGE. Agora será enviado um relatório documentado sobre este procedimento, para então, nos próximos meses, haver a homologação.

“É um legado que deixaremos para os profissionais que utilizarão deste ponto de referência para seus futuros projetos de Engenharia. Foi instalado num ponto acessível e vem somar-se aos demais projetos e serviços da Unifebe voltados para a comunidade”, destaca.

Termo geodésico
O termo geodésico é originário da palavra geodésia, ciência que estuda a forma, as dimensões, o campo de gravidade e a rotação da Terra. Assim, com sistemas de posicionamento por satélite, são construídos esses marcos, que, posteriormente, servirão como referência, já que é conhecida sua localização exata na superfície. No país, foram implantados principalmente pelo IBGE, Exército Brasileiro (EB) e prefeituras.