Rodrigo Santos

Jornalista esportivo - rodrigosantos@omunicipio.com.br

Vai ou racha

Rodrigo Santos

Jornalista esportivo - rodrigosantos@omunicipio.com.br

Vai ou racha

**foto: rodrigo santos Brusque só venceu um jogo na Copinha. Em dois deles, cedeu o empate estando a frente no placar Crédito: Lucas Gabriel Cardoso/Brusque FC

Rodrigo Santos

O Brusque enfrenta o Sub-20 do Joinville no domingo precisando de uma vitória para ir à decisão da Copa Santa Catarina. Quis a tabela que o time enfrentasse o desfalcado JEC na partida decisiva. O Tricolor da Manchester resolveu dar férias para seus profissionais a fim de iniciar cedo a preparação do Estadual e criou esta situação curiosa.

Até o técnico Rogério Zimmermann não estará presente. Parada fácil? Nem tanto. O time do Bruscão não me dá confiança, principalmente depois da vitória “maluca”, assim denominada pelo técnico Picoli, contra o Internacional de Lages.

Os números falam por si: o Brusque só venceu um jogo na Copinha. Em dois deles, cedeu o empate estando a frente no placar. A defesa mostra problemas grandes (o primeiro gol do Inter foi uma sucessão de erros). Neguete não é o mesmo de outras temporadas, Dida não voltou bem do Juventus e a perda de Mineiro (veja nota) é uma preocupação enorme no setor de marcação. O ataque já parece melhor encaminhado, com Edu fazendo seus gols e mostrando que será de muita utilidade na próxima temporada. Mas ainda falta uma maior qualidade na armação.

Falta muita coisa para que o Brusque se torne num time confiável. Diante de um adversário frágil, sem seus titulares, em clima de cumprimento de tabela, a vitória é uma obrigação. O problema é que são muitos os problemas para Picoli resolver em pouco tempo, em um cenário de elenco limitado, ainda sem os reforços que vem para 2018. De toda forma, é a primeira decisão da temporada que terminará no ano que vem. Uma derrota ou empate para o sub-20 do JEC custará, além da desclassificação, uma preocupação grande antes mesmo do início do catarinense.


Mineiro
O volante do Brusque, que tem uma grande identificação com a torcida, foi vítima de mais uma infelicidade, com nova lesão que vai tirá-lo dos campos por um bom tempo. A previsão é que ele retorne apenas para o Brasileirão da Série D do ano que vem. Problema para o jogador, que terá que reiniciar todo um sofrido trabalho de recuperação, e para o clube, que perde um titular e terá que ir atrás de reposição.

Silêncio
Faltam exatos dois meses para o Estadual começar e nada de novidades no campo das contratações dentro do Brusque. Por enquanto, silêncio.

Jasc
Brusque terminou os Jasc numa décima colocação, dentro do que se imaginava da participação da cidade na competição. Numa comparação bem rápida, repete-se a campanha de outros anos, excluindo o atletismo, cuja equipe quase toda importada dividia opiniões (e cuja estratégia não poderá ser repetida no ano que vem, por causa da nova lei) e o futsal feminino, que desmontou o time adulto. Com todas as dificuldades, uma campanha dentro do previsto.

Nova realidade
Todos estão curiosos pra ver como serão os Jasc no ano que vem depois da aprovação da lei que limita muito as contratações. Enquanto alguns dirigentes comemoram, outros estão receosos com uma possível perda de qualidade nas competições. Eu não duvido que essa lei possa ser modificada no início do próximo ano.

Festas
Pude presenciar dois tipos de comemoração no último dia dos Jogos Abertos: enquanto o time de basquete teve uma atuação irrepreensível na decisão, passando por cima de Joinville com 16 pontos de diferença e levando mais um caneco, as jovens meninas da ABEL conquistaram um bronze no vôleibol feminino que foi muito comemorado. Poderia ser ouro ou prata, mas pesou o elenco enxuto, obrigação do regulamento da Fesporte. Dois troféus muito importantes pelo trabalho realizado por ambos.

Rumo ao ouro
O pessoal da ABEL já resolveu: no ano que vem não terá equipe de voleibol feminino na Olesc, a fim de priorizar os Joguinhos Abertos e os Jasc em Caçador. O regulamento não permite que uma atleta participe de três competições Fesporte, e isso acabou sendo determinante em Lages. A meta no ano que vem é brigar pelo ouro, algo que Brusque não conquista no vôlei há um bom tempo.

Parajasc
Em Lages muito se falava da possibilidade do Parajasc desse ano, em Criciúma, não acontecer, depois de dois adiamentos e da negativa da cidade-sede em enviar delegação para os Jasc. Mas a Fesporte banca a competição e garante que ela vai acontecer no final do mês.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio