Veja quais são os imóveis preservados no novo catálogo do patrimônio histórico de Brusque

No documento estão duas edificações tombadas e 12 edificações a serem protegidas

Veja quais são os imóveis preservados no novo catálogo do patrimônio histórico de Brusque

No documento estão duas edificações tombadas e 12 edificações a serem protegidas

O Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Natural e Artístico Cultural de Brusque (Comupa), apresentou o novo catálogo de patrimônio histórico do município. Nele, estão listadas duas edificações tombadas e 12 edificações a serem protegidas na cidade. O objetivo é proteger o patrimônio cultural.

Com a criação do novo catálogo, o que se tinha anteriormente foi revogado. Eram o catálogo do patrimônio histórico, arquitetônico e urbanístico de Brusque, de 23 de março de 2011.

O presidente do Corpo Técnico do Comupa, Rafael Scheibel de Andrade, comenta que, além de uma revisão, o trabalho resultou em uma correção jurídica e administrativa.

Segundo ele, o que se tinha antes prejudicava e prejudica os proprietários, sem nenhuma lógica de valor histórico cultural. “Agora o trabalho continua, com a valorização do contexto cultural e histórico destas edificações, sendo o trabalho agora em conjunto com a Fundação Cultural,” comenta.

Rafael explica que, temporariamente, todos os imóveis mantêm-se sob proteção integral. Ou seja, todas as características arquitetônicas da edificação, externas e internas, deverão ser preservadas. Contudo, no futuro pode haver alteração.

“O ato de catalogar e inventariar não deve manter perpetuamente o sentido de restringir. Essas edificações devem contar com o respaldo da sociedade, para obter a conservação desejada, senão, ações de proteção ficam inócuas”, comenta.

Próximos passos

De acordo com Rafael, o próximo passo a ser perseguido pelo Conselho e Fundação Cultural, com o apoio do Corpo Técnico, é definir e registrar os estados de conservação, o regime de propriedade, o lugar em que se situa, as condições da vizinhança, quais as possibilidades de fiscalizar, as opções de apropriação social e as implicações da conservação.

“Porém, muito mais, cabe agora ao próprio Conselho Municipal de Patrimônio, mediante audiências ou outros instrumentos que visem a ampla participação popular, alinhar o senso de pertencimento da coletividade”, explica.

Rafael finaliza que o número de estruturas ainda pode aumentar. Pois, conforme legislação, qualquer cidadão pode pleitear o registro do inventário. “Este nunca será um processo acabado, porém, devidamente orientado pela legislação municipal”, completa.

Edificações tombadas

Prefeitura de Brusque/Divulgação

Tiro de Guerra: A edificação foi projetada e inaugurada em 1941 para abrigar o Tiro de Guerra de Brusque, instituição que promove o serviço militar no município desde o ano de 1916 e que é frequentada por centenas de jovens desde então. O tombamento foi realizado em dezembro de 2012.

 


 

Ciro Groh/Arquivo O Município

Casarão Hort: Edificação construída entre os anos de 1875 e 1880 por Davi Hort, servindo inicialmente o térreo como venda e o piso superior como moradia. Também abrigou um hotel. Atualmente há uma venda no local. O tombamento foi realizado em maio de 2019.

Edificações relevantes de interesse histórico

Rosália Wal/Divulgação

Igreja Evangélica Paróquia Bom Pastor: A igreja evangélica Bom Pastor é classificada como uma arquitetura religiosa erudita. A construção teve início em 1884 e foi inaugurada em 1895. Como o caso na grande maioria dos edifícios religiosos, ele permanece inalterado, pois continua a ser usado e mantido pela comunidade, tornando-se um elemento vivo e transformação na sociedade.


Rosália Wal/Divulgação

Primeira maternidade de Brusque: A antiga Maternidade Cônsul Carlos Renaux foi inaugurada em 1938. Foi projetada pelo arquiteto alemão Eugen Rombach, também autor do projeto da segunda residência do cônsul. O edifício deixou de ter este uso em 1963, quando foi construída a nova maternidade. Atualmente, a edificação está ocupada pela Secretaria da Paróquia Bom Pastor.


Ciro Groh/Arquivo O Município

Igreja Matriz Católica: Classificada como arquitetura erudita religiosa moderna, a igreja foi finalizada em 1962. A concepção arquitetônica desta matriz está sintonizada com os preceitos do movimento moderno que rege os fundamentos da arquitetura erudita a partir de meados do século passado. O responsável pelo projeto é o arquiteto alemão Gottfried Bohm, autor também da matriz da cidade de Blumenau.


Natália Huf/Arquivo O Município

Clube de Caça e Tiro Araújo Brusque: A edificação foi construída em 1866. Pode ser classificada como uma arquitetura erudita de base eclética. A edificação original foi ampliada em 1924 para abrigar um novo acesso e a atual cozinha e refeitório, e sucessivamente ampliado e melhorado para oferecer novas atividades de acordo com as exigências de clube urbano atual, que é o clube de tiro mais antigo do Brasil.


Rosália Wal/Divulgação

Conjunto religioso católico de peregrinação e saúde: Trata-se do conjunto edificado da igreja, seminário e atual museu de Azambuja, além do complexo do hospital. A construção da Igreja iniciou em 1887. A igreja atual já é a terceira construída no local e foi inaugurada em 1956. O projeto é do arquiteto alemão Simão Gramlich. A construção do hospital é finalizada em 1911, que corresponde a ala esquerda do edifício do museu, abrigando em 1927, seminário em seu segundo pavimento e sótão. Em 1930, é construída a outra ala do edifício e ele adquire a forma que hoje conhecemos como edifício do museu. Em 1936 é inaugurado o edifício do novo hospital, no outro lado da via.


Arquivo O Município

Museu Arquidiocesano Dom Joaquim: A edificação do museu, junto com a igreja, domina o cenário de Azambuja. O edifício data de 1907, inicialmente construído para abrigar um hospital; posteriormente, em 1927, foi instalado o seminário na parte do segundo pavimento e sótão. O Museu Arquidiocesano Dom Joaquim, pode ser classificado como uma arquitetura erudita historicista, pois se utiliza das formas de composição da arquitetura do revival.


Arquivo O Município

Casa Enxaimel na rua São Pedro (fim da rua SP-006): A edificação é uma das últimas remanescentes da técnica construtiva enxaimel em Brusque e destaca-se pela conservação e emprego dos materiais que remontam ao processo de colonização. Das mais de 80 edificações enxaimel encontradas em Brusque na década de 1980, restam apenas quatro exemplares.


Bruno da Silva/Arquivo O Município

Casa Enxaimel da Casa de Brusque: A edificação é uma das últimas remanescentes da técnica construtiva enxaimel em Brusque e destaca-se pela conservação e emprego dos materiais que remontam ao processo de colonização.

 


Bárbara Sales/Arquivo O Município

Villa Quisisana: Construída entre 1932 e 1934 por Edgar Von Buettner, a edificação é uma das mais emblemáticas em Brusque e distingue-se tanto por seu estilo quanto pelos materiais empregados na sua confecção. Segundo o novo catálogo, a edificação pode abrigar um Museu, Arquivo Histórico ou mesmo um comércio relacionado a alimentação.


Itaú/Divulgação

Prédio da Antiga Prefeitura: É uma das primeiras edificações modernistas de Brusque e neste local foi abrigado o Prédio da Antiga Prefeitura de Brusque. Em conjunto com outras edificações como o prédio do centenário e a própria Igreja Matriz Católica São Luiz Gonzaga, há uma paisagem que remete a um período de construção específico da cidade. A edificação é um importante marco da arquitetura modernista em Brusque e está adaptada para a utilização econômica do Banco Itaú.


Clube Esportivo Paysandu/Divulgação

Sede do Clube Esportivo Paysandú: A edificação destaca-se na cidade por ser um dos últimos remanescentes do estilo Art Déco. As cores na fachada da edificação destacam as lembranças relacionadas ao clube nos tempos áureos do futebol. “O Mais Querido”, como é conhecido o Clube Esportivo Paysandú, foi fundado em 30 de dezembro de 1918 e é um dos clubes mais antigos de Santa Catarina.


Instituto Aldo Krieger/Divulgação

Casa de Aldo Krieger: A edificação é um exemplar da arquitetura vernacular do início do século XX em Brusque. A edificação abriga o Instituto Aldo Krieger e também o Museu é dedicado à memória do Maestro Aldo Krieger.

 


De fora

No Catálogo do Patrimônio Histórico, Arquitetônico e Urbanístico de Brusque de 2011 aparecem outras edificações. Estas, não estão no novo catálogo e algumas já podem ter sido demolidas.

Confira lista:

• Edificação enxaimel na rua São Pedro, no bairro São Pedro;
• Edificação na rua Felipe Schmidt, 443, no bairro São Luiz;
• Edificação na rua Carlos Gracher, 100, na esquina com a rua Otto Renaux, no bairro São Luiz;
• Edificação na rua Felipe Shmidt, 45, no bairro Centro;
• Edificação na rua Felipe Schmidt, 74, na esquina com a rua João Bauer, no bairro Centro;
• Edificação na avenida Barão do Rio Branco, 74, na esquina com a rua Otto Renaux, no bairro Centro;
• Conjunto das Lojas Renaux, na avenida Cônsul Carlos Renaux, 181, no bairro Centro;
• Edificação na avenida Cônsul Carlos Renaux, 167, no bairro Centro;
• Edificação na rua Rodrigues Alves, 208, no bairro Centro;
• Edificação na rua Barão do Rio Branco, 34, no bairro Centro;
• Edificação na rua Pedro Werner, 30, no bairro Centro;
• Edificação na rua Pedro Werner, 185 , no bairro Centro;
• Edificação na avenida Getúlio Vargas, 63/87, no bairro Centro;
• Edificação na avenida Getúlio Vargas, 173, na esquina com a rua Lauro Müller, no bairro Centro;
• Edificação na rua Augusto Bauer, 7, no bairro Jardim Maluche;
• Edificação na rua do Cedro (SC-486) , no bairro Dom Joaquim;
• Edificação na avenida Primeiro de Maio, 61, no bairro Primeiro de Maio;
• Edificação na avenida Getúlio Vargas, no bairro Centro;
• Edificação na avenida Barão do Rio Branco, 217, esquina com a rua João Bauer, no bairro Centro;
• Espaço rural Engenho de Farinha, no bairro Cedro Alto;
• Espaço rural Engenho de Farinha, no bairro Limeira.


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo