Vereadores cobram resposta da Secretaria de Saúde sobre reunião com Hospital Azambuja

Pasta informou à Câmara que só teria disponibilidade para participar de encontro daqui 15 dias

Vereadores cobram resposta da Secretaria de Saúde sobre reunião com Hospital Azambuja

Pasta informou à Câmara que só teria disponibilidade para participar de encontro daqui 15 dias

O vereador Marcos Deichmann (Patriotas) cobrou uma resposta da secretaria de Saúde de Brusque sobre a reunião na Câmara de Vereadores com representantes do Hospital Azambuja e outras entidades, para discutir a situação da saúde do município.

O requerimento solicitando a reunião foi aprovado na semana passada, entretanto, segundo o vereador, a secretaria de Saúde ainda não deu uma resposta de data para realização do encontro.

“Convites foram enviados, acionamos ambas as partes. O hospital se prontificou, mas da secretaria não tivemos resposta. Pediram 10 a 15 dias porque estão com a agenda cheia e ainda precisam levantar algumas informações”, diz.

Deichmann lembrou que as discussões sobre a saúde de Brusque já vem de longa data e a intenção da reunião é tentar solucionar os problemas da saúde.

“Se há um impasse com o hospital, essas informações já teriam que estar em mãos da secretaria. Queremos uma solução imediata, temos que nos unir para chegar a um resultado, a população espera por isso. Este foi o motivo de pedirmos essa reunião e, infelizmente, não vai acontecer em tempo hábil”.

O vereador destacou que o Hospital Azambuja realiza em média 7,5 mil atendimentos mensais no pronto-socorro. Desses, 75% não são de urgência e emergência e deveriam ser atendidos nas unidades básicas de saúde.

“Queremos saber qual a medida que a secretaria vai tomar em relação a essa questão. Formular uma cartilha não resolve, onde essas pessoas vão buscar atendimento? Muitas pessoas vão nos postos de saúde, não tem vaga para consulta e vão recorrer a onde? ao hospital”, afirma.

Deichmann se refere à campanha lançada pela Secretaria de Saúde na segunda-feira, em que será elaborada uma cartilha para conscientizar a população sobre o uso do pronto-socorro do hospital. “Uma cartilha para conscientizar é o suficiente? As pessoas precisam de atendimento, não de consciência. Pode ser feito um trabalho paralelo de educação, mas não num momento crítico como esse. Tem que sentar todo mundo e resolver. Estamos aguardando a resposta da secretaria. Queremos os postos funcionando, resolutibilidade, ação e não só conscientização”.

O vereador Paulo Sestrem (Patriotas) também usou parte de seu tempo para comentar a situação da saúde no município. Ele demonstrou preocupação com o fato de a prefeitura não renovar o convênio médico com os sindicatos, o que, em sua visão, desafogaria os atendimentos no pronto-socorro do Hospital Azambuja e as unidades de saúde.

Jean Pirola (PP) também cobrou uma posição da secretaria de Saúde o mais rápido possível. “Somos cobrados diariamente sobre a situação da saúde, precisamos nos unir e resolver, pelo menos, paliativamente esses problemas. Me surpreendeu essa posição da secretaria em querer jogar essa reunião para frente. Não podemos mais esperar”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio