Vereadores pedem auxílio do Exército durante interdição de ponte

Requerimento solicita a instalação de uma ponte Bailey enquanto a ponte do terminal ficar interditada

Vereadores pedem auxílio do Exército durante interdição de ponte

Requerimento solicita a instalação de uma ponte Bailey enquanto a ponte do terminal ficar interditada

Na sessão desta terça-feira, 6, os vereadores aprovaram requerimento de autoria do vereador Cleiton Bittelbrunn (PRP), que solicita o apoio do Exército Brasileiro na questão de logística durante a interdição da ponte Arthur Schlösser (ponte do terminal) que foi fechada para o tráfego de veículos e pedestres na semana passada, devido a problemas em sua estrutura.

No requerimento, que será encaminhado ao Comando Militar do Sul, o vereador pede a instalação de uma ponte Bailey – uma espécie de ponte metálica originalmente usada em ações de combate – provisoriamente, enquanto a prefeitura realiza os reparos na ponte que liga o Centro 1 ao Centro 2.

“No Japão, o conserto de uma ponte dessas levaria uma semana, um mês. Aqui, o prefeito já anunciou que levará em torno de 180 dias, ou seja, vamos ficar seis meses com este trânsito caótico. A rua prefeito Germano Schaefer é muito importante para o tráfego da cidade e precisamos de uma solução rápida”.

O vereador Sebastião de Lima (PSDB), foi um dos que se manifestou favorável ao auxílio do Exército enquanto o problema na ponte é resolvido. “Não consigo imaginar um mês com o trânsito que tivemos hoje porque estamos sem esta ponte, e isso que hoje as escolas nem tiveram aula”.

O líder do governo, Deivis da Silva (PMDB), destacou que a ideia da prefeitura, assim que o rio Itajaí-Mirim estabilizar, é verificar se a nova cheia complicou ainda mais os problemas estruturais da ponte e, dependendo da situação, fazer o escoramento da ponte para que, pelo menos, meia pista possa ser liberada para que o local seja utilizado de forma emergencial.

Ponte do Rio Branco
A situação da nova ponte que está sendo construída no bairro Rio Branco como ligação ao bairro Souza Cruz e, consequentemente, ao Dom Joaquim também foi bastante discutida entre os vereadores na sessão desta terça-feira. Por isso, foi aprovado o requerimento do vereador Jean Pirola (PP), que pede a suspensão imediata da execução da concretagem da ponte e que o Departamento Geral de Infraestrutura (DGI) faça um estudo para a adequação do projeto da ponte para elevar sua altura em relação ao leito do rio.

O problema veio à tona durante a cheia do rio Itajaí-Mirim, já que com a elevação do rio, a água quase atingiu a ponte. “Estive lá quando o rio estava em 7,20 metros, e segundo os trabalhadores da obra, faltava 1,20 m para a água pegar na ponte. Se o rio tivesse chegado a 8,30 m, como era a previsão inicial da Defesa Civil, a ponte teria ficado submersa, se tornaria uma barreira e as águas poderiam invadir o bairro”.

O vereador também ressaltou que a ponte já sofreu alterações em seu projeto anteriormente. “Durante a gestão de Roberto Prudêncio Neto, a ponte já foi levantada em 1,5 metros. O encarregado da obra falou que ela tem condições de ser elevada porque ainda não foi concretada, por isso a urgência. Não podemos nos omitir”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio