Deitei-me às 3h,
Acordei às 5h.
Feito louca, caçando pela casa algo que nem eu sabia o que era.
O vício faz essas coisas com a gente.
E no outro dia,
Novamente.
Às 3h e às 5h.
Às 3h e às 5h.
Às 3h e às 5h
Cadê a caneta?
Eu preciso dizer,
O vício faz essas coisas com a gente.
Tem gente que prefere o álcool,
Tem gente que prefere coca,
Tem quem prefere a maconha…
E tem uns poucos,
Uns loucos
Que como eu
Virou escravo,
Espancado e amordaçado […] Por quem?
Canetas, versos e papéis.
O meu vício é poesia.
Deite-me às 3h,
Acordei às 5h…
Preciso urgentemente da minha caneta e de um pedaço de papel.


Alice Ádna Ferreira
– universitária – Comércio Exterior na Univale