Vigilância sanitária alerta para golpe em Brusque

Órgão identificou tentativas ilegais de cobrança de taxas em seu nome; polícia investiga o caso

Vigilância sanitária alerta para golpe em Brusque

Órgão identificou tentativas ilegais de cobrança de taxas em seu nome; polícia investiga o caso

A Vigilância Sanitária de Brusque alerta aos empresários e proprietários de estabelecimentos comerciais para tentativas de golpe que foram identificadas no município. Conforme a coordenadora do órgão, Clotilde Imianowsky, golpistas telefonaram a donos de três supermercados, informando a existência de débitos relacionados a alvarás, licenças e taxas de funcionamento.

Os comerciantes relataram à Vigilância que, nas ligações, os golpistas se identificavam como funcionários do órgão, e informavam que havia pagamentos em atraso. Clotilde explica que os golpistas escolheram esta época do ano para agir pois é o período reservado à renovação das licenças pela Vigilância Sanitária, período em que os empresários já aguardam serem procurados pelos fiscais.

Contudo, ela alerta que a Vigilância não realiza cobranças por telefone e, qualquer iniciativa neste sentido, trata-se de golpe. “Eles sabem que nosso modo de agir não é assim, ou eles ganham auto de intimação assinado pelo fiscal, ou vão até a Vigilância e pegam o boleto para pagar no banco”, explica a coordenadora.
Ela alerta que os comerciantes, embora habituados aos trâmites da Vigilância Sanitária, devem ficar atentos para não cair em armadilhas. “O nosso pessoal [empresariado] é esperto, mas pode, estando preocupado, na bobeira ir pagar”, ressalta.
Dinheiro vai para conta em Tijucas

A Polícia Civil está investigando o caso. Conforme apurado até o momento, os golpistas telefonavam para os clientes sugerindo que estavam com os pagamentos atrasados e, identificados como funcionários da Vigilância, marcavam um horário para levar o boleto até o estabelecimento.

Esse boleto, segundo o que se apurou na investigação policial, tinha um código de barras que direcionava o pagamento a uma conta bancária com domicílio fiscal em Tijucas, pertencente a uma senhora idosa, que não teve o nome revelado. A suspeita é de que os dados bancários dela também estejam sendo usados ilegalmente pelos golpistas.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio