Vigilância Sanitária recolhe produtos listados na operação Carne Fraca

Fiscalização deverá levar pelo menos três dias e segue determinação do Ministério da Agricultura

Vigilância Sanitária recolhe produtos listados na operação Carne Fraca

Fiscalização deverá levar pelo menos três dias e segue determinação do Ministério da Agricultura

Fiscais da Vigilância Sanitária de Brusque começaram nesta quarta-feira, 29, a retirar das prateleiras dos supermercados do município, quatro lotes de produtos fabricados por empresas investigadas na Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. O órgão segue determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por meio de portaria emitida na terça-feira, 28.

São alvo da operação, principalmente, salsichas e linguiças fabricadas pela Peccin Agroindustrial, unidade de Curitiba, com Serviço de Inspeção Federal (SIF) 2155; Peccin Agroindustrial, unidade de Jaraguá do Sul (SIF 825); Souza Ramos, da fábrica em Colombo (PR) (SIF 4040) e Transmeat, do frigorífico em Balsa Nova (PR) (SIF 4644).

Duas equipes de fiscais da Vigilância Sanitária municipal iniciaram a busca nos supermercados. De acordo com a coordenadora do órgão, Lucie Herta Hilbert, a operação deve levar cerca de três dias. “Nossos técnicos já estão indo nos supermercados do município para verificar se vamos encontrar algum desses quatro SIFs ou nenhum”, diz.

Lucie ressalta que o estado direcionou as vistorias para os embutidos, por isso, esses produtos serão o foco da operação no município. “Essas empresas fabricavam predominantemente embutidos, por isso, vamos dar uma atenção maior às salsichas e às linguiças”.

A coordenadora explica que como a resolução da Anvisa estipulou um prazo de 90 dias, se forem encontrados em Brusque produtos com esses SIFs, o órgão irá apreendê-los, no entanto, deixará no estabelecimento como fiel depositário, já que a Anvisa determina apenas a interdição cautelar, e não a inutilização dos produtos.

“Se encontrarmos, deixaremos no estabelecimento até que os laudos oficiais sejam divulgados. Se não houver irregularidades, vamos retornar nesses estabelecimentos e desinterditar. Os produtos serão devolvidos e o supermercado poderá vendê-los ao consumidor”.

Lucie orienta que se o consumidor encontrar algum produto desses lotes nos supermercados, entre em contato com a Vigilância Sanitária pelos telefones 3255-6888 e 3255-6889.

Operação Carne Fraca
A operação Carne Fraca foi divulgada no dia 17 de março, quando mais de mil agentes da Polícia Federal cumpriram 309 mandados judiciais, sendo 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão. A operação investiga uma organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio.

Segundo a PF,  servidores das superintendências regionais do Ministério da Pesca e Agricultura nos estados do Paraná, Minas Gerais e Goiás “atuavam diretamente para proteger grupos de empresários em detrimento do interesse público”.

De acordo com a PF, os fiscais se utilizavam dos cargos para, mediante propinas, facilitar a produção de alimentos adulterados por meio de emissão de certificados sanitários sem que a verificação da qualidade do produto fosse feita.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio