Acumuladora mantém mais de 80 animais em situação precária, em Botuverá

Pata de Guabiruba está solicitando ajuda para resolver o caso e entregar os animais para doação

Acumuladora mantém mais de 80 animais em situação precária, em Botuverá

Pata de Guabiruba está solicitando ajuda para resolver o caso e entregar os animais para doação

A situação de mais de 80 animais que vivem na casa de um casal, em Botuverá, está preocupando os integrantes da Organização Não Governamental (ONG) Protegendo os Animais com Todo Amor (Pata), de Guabiruba. Os gatos e os cachorros foram tirados da rua pela dona da casa e abrigados em sua residência, no entanto, vivem em situação muito precária, inclusive, sem alimentação adequada. A vice-presidente da Pata, Kelly Cristine Stricker, conta que a ONG acompanha o caso há quase um ano, mas agora a situação ficou insustentável. “Fomos informados desse caso há algum tempo e estávamos auxiliando com ração, mas agora saiu do controle. Em pouco tempo, a senhora juntou mais de 80 cães e gatos que passam muita necessidade”, diz.

Leia também: Agência da Celesc de Brusque está com atendimento prejudicado nesta terça-feira

De acordo com ela, o casal sobrevive apenas com um salário mínimo e não tem condições de cuidar de tantos animais, mesmo assim, continua recolhendo os cães e gatos abandonados. A ONG tenta fazer com que a senhora doe os animais, no entanto, essa não é a vontade dela. “Ela não deixa levar nem para castrar e para ir ao veterinário, ela tem medo que a gente leve e não devolva. Ela não faz isso por mal, tem um coração muito bom, mas ela não consegue enxergar a realidade. É uma acumuladora de animais”, afirma.

Kelly destaca que é muito comum as ONGs de proteção aos animais se depararem com acumuladores de animais. “Em cidades maiores isso é muito comum, vemos relatos todos os dias. Em Guabiruba e Botuverá, como são municípios pequenos, isso não acontece muito”.

Gatos ficam trancados em espaços pequenos / Foto: Reprodução
Gatos ficam trancados em espaços pequenos / Foto: Reprodução

A vice-presidente da Pata diz que a situação dos animais é muito crítica, já que eles não têm o que comer, os cães ficam presos com correntes pequenas e os gatos empilhados em caixas de mercado. “É deprimente se deparar com uma situação dessas”.

A associação já levou o caso ao Ministério Público e aguarda uma decisão. Mesmo com a situação delicada, eles não têm poder para levar os animais, somente após uma autorização judicial. A ONG também não tem espaço para abrigar todos os bichos. “Não temos onde levar todos de uma vez só, estamos tentando fazer com que ela doe aos poucos, mas não está fácil”.

Enquanto aguarda uma decisão judicial, a Pata pede doações de ração para cães e gatos para que possa amenizar a situação. Quem quiser contribuir, pode entrar em contato com a Pata Guabiruba pelo Facebook da ONG (www.facebook.com/ong.guabiruba). “Podem deixar recado no Facebook que combinamos um local para deixar a ração ou então vamos buscá-la. Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para começar a tirar eles de lá”.

Cachorros ficam presos com coleiras pequenas / Foto: Reprodução
Cachorros ficam presos com coleiras pequenas / Foto: Reprodução

A ONG também solicita a ajuda de advogados e psicólogos para o caso. “Precisamos resolver essa situação. Então, advogados que estiverem disponíveis e quiserem contribuir, são bem-vindos. Também seria importante o auxílio de psicólogo, já que estamos falando de uma doença, ela precisa de ajuda”, diz.


Como ajudar

Basta entrar em contato com a entidade pelo Facebook.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio