Administrador Fabiano Amorim irá deixar o Hospital Azambuja

Decisão partiu dele, que irá se dedicar à sua empresa de consultoria

Administrador Fabiano Amorim irá deixar o Hospital Azambuja

Decisão partiu dele, que irá se dedicar à sua empresa de consultoria

O administrador do Hospital Azambuja, Fabiano Amorim, confirmou na tarde desta quarta-feira, 22, que irá deixar a instituição.

Amorim está há quatro anos à frente da instituição. Ele permanece até 21 de dezembro, e depois irá se dedicar à sua empresa de consultoria e aos outros quatro hospitais por ela administradas.

Amorim foi indicado para administrar o Azambuja pelo ex-prefeito Paulo Eccel, em 2013, após a prefeitura fazer uma intervenção na instituição. À época, o hospital indicava que, sem aumento de repasses do SUS, iria fechar o seu pronto-atendimento.

O fato motivou a edição de um decreto de situação de calamidade pública, pelo qual o governo decidiu assumir a gestão do Azambuja, o que perdurou por um ano.

Em 31 de dezembro de 2013, a Arquidiocese de Florianópolis, proprietária do hospital, retomou a sua gestão, após acabarem os efeitos do decreto editado pelo prefeito.

Mesmo depois que a Igreja retomou o comando do Azambuja, ele permaneceu como administrador.

Juarez Piva, advogado do hospital à época da intervenção, foi um dos que recomendou a permanência de Amorim na instituição, devido ao trabalho por ele desenvolvido naquele ano, considerado muito bom.

Em entrevista ao jornal O Município, Amorim não deu detalhes do que motivou a sua saída. Ele informou que se trata de uma decisão “normal” dentro da sua vida profissional.

Questionado se os desgastes causados pelas constantes disputas com a prefeitura por mais recursos para o hospital foram determinantes, ele negou.

“Não tem nada a ver, essa é uma situação normal do trabalho. Enfrento isso em outros hospitais”, afirma.

Ele considera bastante positivo o tempo em que permaneceu como administrador do Hospital Azambuja, e destaca o crescimento da instituição nesses quatro anos.

“A melhor avaliação quem faz é a comunidade, que percebeu as mudanças, a qualidade do atendimento. Houve uma melhoria de relacionamento do hospital com a comunidade”, destaca. “A evolução foi nítida e a comunidade percebeu. Para mim é uma grande vitória”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio