Após Paralimpíada, Matheus Rheine inicia temporada 2017 com foco em Campeonato Mundial de Natação

Desde a última semana, Rheine voltou forte com os treinamentos na academia Viva

Após Paralimpíada, Matheus Rheine inicia temporada 2017 com foco em Campeonato Mundial de Natação

Desde a última semana, Rheine voltou forte com os treinamentos na academia Viva

O ano que passou foi muito especial para o nadador paralímpico brusquense Matheus Rheine. Depois de medalha de bronze na prova de 400m livre na maior competição poliesportiva para atletas com deficiência do mundo, a Paralimpíada, terminou a temporada com louvor e reconhecido no mundo inteiro. Mas o período de comemoração – e até de descanso – acabou.

Desde a última semana, Rheine voltou forte com os treinamentos na academia Viva, em Brusque. O foco de 2017 é no Campeonato Mundial de Natação Paralímpica, que será na Cidade do México. Mais uma vez, o atleta será aposta do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para trazer medalhas ao país. No Mundial de Glasgow, em 2015, Rheine garfou duas pratas, sendo uma nos 100 metros livre e outra nos 400 m livre.

Um desafio e tanto

Segundo o brusquense, a seleção sofreu um corte no número de atletas. Agora, a CPB vai focar em nadadores com o perfil jovem de Rheine, e de 25 participantes foi para 17. Mantido como uma das apostas nacionais, ele já pensa na competição que será no México entre o fim de setembro e o início de outubro. “Vai ser mais um ano espetacular. Já viajo no próximo dia 13 de fevereiro para o primeiro encontro da seleção.

Não gosto muito de sair de Brusque, porque minha família está aqui, mas vai ser bacana estar junto com as pessoas que estão nadando com o mesmo objetivo”, diz.

Por mais uma temporada, Rheine terá um período intenso de treinos. Como o Mundial será na altitude, o atleta treinará em ambientes com cerca de 2,6 mil metros de altitude. “Vai ser o ponto mais alto que já treinei. Já havia treinado na altitude, mas no máximo até 1,9 mil metros”, completa.

As metas pessoais do nadador brusquense são melhorias em seus tempos. Nos 400m, já decidiu que treinará para chegar em 4min39s, além de desejar 58s no 100 e 26s nos 50 m. “Às vezes dizem que é bom manter, mas se dá pra melhorar, é isso que quero. Até o melhor tempo do mundo pode ser melhorado, completa”.

O treino vai ser pesado, mas como sempre, Rheine tira de letra e com entusiasmo. “Já voltei a trabalhar desde a última semana, estou com ânimo total e recarregado. Aproveitei bem o fim do ano, esfriei a cabeça e me desliguei da natação. Agora é hora de voltar às piscinas”.

Sem pensar em 2020

A medalha de bronze em Paralimpíada aos 24 anos provou que o brusquense tem futuro promissor. Os olhos do CPB se voltaram para o atleta que terá 28 anos em 2020, quando será realizada a Paralimpíada de Tóquio e pode ser esperança até mesmo de conquista do ouro.

Rheine, no entanto, diz que não pensa ainda nessa possiblidade. “Gosto de focar em cada individualmente, e em tudo que devo fazer na temporada. Ainda faltam três anos e muita coisa pode acontecer. A gente muda fisicamente”, completa.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio