Conteúdo exclusivo para assinantes

Trilha do Morro do Spitzkopf, em Guabiruba, é sinalizada para trilheiros

Trabalho de marcações será finalizado em outubro pela Assepavi

Trilha do Morro do Spitzkopf, em Guabiruba, é sinalizada para trilheiros

Trabalho de marcações será finalizado em outubro pela Assepavi

Cerca de 12 voluntários da Associação de Ecoturismo, Preservação e Aventura do Vale do Itajaí (Assepavi) realizaram mais um trabalho em prol das trilhas da região.

Desta vez foi no Morro do Spitzkopf, que fica entre Guabiruba e Gaspar. O grupo iniciou o processo de sinalização do espaço, com o objetivo de tornar a trilha autoguiada, já que no local é comum que os trilheiros se percam.

A modalidade de sinalização em trilhas é adotada mundialmente, conforme conta o presidente da Assepavi, Ivan Fischer. Por meio de oficinas realizadas no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), ele aprendeu a fazer essas marcações e compartilhou o conhecimento com seus colegas voluntários.

Em agosto, então, o grupo realizou a primeira etapa do trabalho, que será finalizado em outubro. Ao todo serão colocadas cerca de oito tabuletas (plaquetas) e 30 marcações – sinalizações feitas por meio de pintura em árvores e utilizadas em todo o mundo.

Voluntários da Assepavi iniciaram trabalho de sinalização em agosto/ Assepavi/Divulgação

Não há uma distância padrão de uma marcação para outra, porém, no início da trilha haverá já as principais informações sobre o percurso. É importante que o usuário fique atento às legendas (cores, direção e sentido) para que não corra riscos de se perder.

Em geral, a sinalização direcional mundialmente utilizada é dividida em quatro tipos: direcional, confirmatória, calmante e indutiva. Segundo o presidente da Assepavi, a calmante tem grande importância para o trilheiro, já que é “aquela que de tempos em tempos reassegura ao caminhante de que está no caminho correto”.

Em geral, sempre que o usuário andar mais de cinco minutos sem ver uma sinalização calmante, saberá que errou o caminho e retornará até encontrar a última sinalização e voltar à trilha certa.

Muitas bifurcações
A trilha de Spitzkopf é uma das quais as pessoas mais se perdem, pois há muitas bifurcações. Fischer diz que há registros de muitos casos, sem contar os trilheiros que se perdem e acabam não sendo contabilizados.

Em junho deste ano, inclusive, um casal de Brusque se perdeu no Morro do Spitzkopf, na localidade de Lorena, sendo resgatados um dia depois pelo Corpo de Bombeiros.

“É uma trilha que recebe muitos usuários. No dia que fizemos as marcações, encontramos mais de 20 pessoas”, afirma Fischer, que destaca que é gratificante para o grupo colaborar para ajudar no lazer de Guabiruba. Em média, em dias de tempo bom, aproximadamente 50 trilheiros passam pelo local.

Para ajudar
Se outros voluntários quiserem se engajar na causa podem entrar em contato com a Assepavi por meio da página do Facebook: www.facebook.com/assepavi ou dos telefones: (47) 99174-9918 e 99912-8861.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio