Benefício da gestação múltipla ainda não foi concedido a famílias de Brusque

Programa prevê auxílio financeiro mensal a mães que tiveram trigêmeos ou mais filhos

Benefício da gestação múltipla ainda não foi concedido a famílias de Brusque

Programa prevê auxílio financeiro mensal a mães que tiveram trigêmeos ou mais filhos

20160203-8Desde 2010, a lei 15.390 garante auxílio financeiro a mães catarinenses que tiveram trigêmeos ou mais filhos em uma mesma gestação. Chamado de Gestação Múltipla e válido apenas para famílias em vulnerabilidade social, o programa disponibiliza R$ 419,25 mensais para cada criança, até que elas completem 12 anos. Atualmente, 79 famílias do estado recebem o valor, nenhuma delas, porém, reside em Brusque.

Em 2015, o governo do estado repassou, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), R$ 800 mil às famílias beneficiadas. Para ter acesso aos valores, a família precisa ter como renda bruta total até 85% do salário mínimo por pessoa do núcleo familiar.

De acordo com a diretora da SST, Camila Magalhães Nélsis, a lei que prevê o benefício deve sofrer alterações neste ano. O objetivo é contemplar o máximo de famílias catarinenses em situação de vulnerabilidade social.

“A ideia é permitir que gestantes que tenham tido seus filhos em outros estados, pela ausência momentânea de leitos ou Unidades de Tratamento Intensivas (UTIs), também possam contar com o auxílio financeiro. Além disso, após a alteração da nova lei, famílias e que fora, beneficiadass podem se recadastrar para requerer a continuidade do Benefício após a análise de suas rendas”, diz.


Família do Limoeiro

trigemeos 3 cópia
Os pais dos trigêmeos tiveram de entrar na justiça para ter direito ao Gestação Múltipla

Gabriel, Miguel e Rafael completarão quatro anos neste mês. Trigêmeos e moradores do bairro Limoeiro – divisa entre Brusque e Itajaí -, os meninos viraram tema de matéria do Município Dia a Dia em 2012, época em que os pais aguardavam o benefício. Naquele período, o mecânico Alcides Laurentino Junior e a esposa tiveram de lutar para garantir o acesso ao Gestação Múltipla.

Segundo Junior, a família demorou oito meses para receber o benefício. E somente conseguiu depois de entrar na justiça e de pedir auxílio ao então deputado estadual Volnei Morastoni.

“Sem o benefício, nós só conseguiríamos sustentar os trigêmeos com ajuda de pessoas mais próximas. Não teria como me virar com fralda e leite. Mesmo assim com o dinheiro mensal já tivemos ajuda dos familiares. A despesa era muito grande. Agora eles estão mais velhos, então diminuíram um pouco as despesas”, afirma.

 

 

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio