Brusque fica no empate com o Inter de Lages

Time saiu na frente mas, novamente na bola parada, sofre empate e complica planos de Copa do Brasil

Brusque fica no empate com o Inter de Lages

Time saiu na frente mas, novamente na bola parada, sofre empate e complica planos de Copa do Brasil

A última impressão do Bruscão em casa pelo estadual não foi das melhores. Apesar de sair na frente do Inter de Lages, o time cedeu o empate e não conseguiu ampliar na sequência. As chances de Copa do Brasil ficaram ainda menores e, dependendo do resultado da partida do Figueirense, que joga hoje, podem ser nulas. O jogo foi ruim, e as duas equipes erraram muitos passes e fundamentos básicos do futebol que irritaram as duas torcidas presentes.

Tempo preguiçoso

No primeiro tempo, as duas equipes não fizeram boa partida. Errando princípios básicos do futebol, Inter e Brusque ficaram longe de dar emoções para a torcida presente. Mesmo assim, o quadricolor balançou as redes em lance que foi impedido pela assistente Nadine e o colorado conseguiu assustar as traves defendidas por João Paulo.

Aos sete minutos de jogo, a torcida do Bruscão chegou a gritar gol. Em belo lançamento da esquerda para Carlos Alberto que vinha completando pela direita, a bola passou por Neto Volpi e entrou nas redes. A assistente da partida, contudo, viu impedimento e o lance não foi validado.

A partir daí, começaram os lances errados. A bola parecia morder os pés dos atletas brusquenses, que não conseguiam trocar mais de dois passes sem roubada de bola. Por sorte, o time adversário tinha ainda mais dificuldade em criar. Mas, aos 38 minutos, quase que os visitantes ficaram na boa. Romarinho tocou boa bola para Gabriel, que ajeitou e mandou bola perigosíssima, mas que saiu por cima.

O lance de Gabriel, contudo, foi isolado. Diferente do time que atropelou o Brusque em Lages, o Inter que enfrentou o Brusque parecia sem vontade. Mateus Arence, centroavante que substituiu Isac, tocou pouco na bola. O apito final de Héber Roberto Lopes foi acompanhado não das vaias e nem dos aplausos brusquenses, mas do silêncio diante de uma partida apática até então.

Erros repetidos

Sem aprender com os erros cometidos durante todo o campeonato, o Brusque abriu o placar mas sofreu gol em jogada de bola aérea. As vaias foram sonoras no apito final de Heber Roberto Lopes. Parte da torcida já abandonou o jogo antes do encerramento.

Ovelha percebeu a falta de um atleta de referência na área e colocou Giancarlo. A mudança surtiu efeito, e os atletas tinham para quem lançar a bola. O centroavante ainda tentou jogadas de efeito, com passes de calcanhar, que desconcertaram a zaga adversária. Mas logo o Inter não só se recompôs como partiu para cima e pressionou. O colorado chegou a finalizar três vezes em uma mesma jogada, todas rechaçadas pela defesa.

Para aliviar a torcida quadricolor, a dupla Assis e Giancarlo – que juntos têm 10 gols com a camisa do Brusque – precisou dar o seu melhor. Em boa falta próxima da área, o camisa 10 colocou na medida e o centroavante cabeceou no capricho para as redes, aos 23 minutos. Aí o time da casa abusou de erros. Eliomar, em contra-ataque, ficou cara a cara e chutou no goleiro. Antes disso, Giancarlo tinha perdido em cabeçada.

Mas o pesadelo dessa edição do estadual voltou a atormentar o Brusque: A bola parada. Em cobrança de escanteio aos 34 do segundo tempo, Valdo Bacabal, que havia acabado de entrar, fez de cabeça na desatenção da zaga. Os quadricolor sentiu o gol, e teve dificuldades para sair jogando. Na base da cera, o colorado foi empurrando a partida até os minutos finais. Em um lance, quase o Brusque faz o segundo. A bola foi alçada na área, Giancarlo ajeitou para Eydison que cabeceou muito próximo. No último lance, Assis cobrou falta perigosa, mas ela saiu e Héber decretou o fim da partida.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio