Brusque registrou os dias mais quentes em um mês de abril desde 1987

Dia 20 registrou 36,6ºC no município, com sensação térmica de 43ºC

Brusque registrou os dias mais quentes em um mês de abril desde 1987

Dia 20 registrou 36,6ºC no município, com sensação térmica de 43ºC

Praticamente não há outro tópico nas conversas entre amigos, colegas de trabalho ou família em Brusque além do calor nos últimos dias. O dia 20 de abril, por exemplo, teve temperatura de 36,6ºC, a maior para o mês de abril desde 1987, quando Ciro Groh, que possui três réplicas de estações meteorológicas e é blogueiro do Município Dia a Dia, começou a acompanhar o clima no município.

Algumas profissões passam um pouco mais de dificuldades por causa do calor, e uma delas é a de policial militar. O PM tem de ficar sempre fardado com calça, camisa e coturno, além de uma camiseta por baixo. Os únicos policiais que podem usar bermuda são os que trabalham na bike patrulha, o restante tem de seguir o regulamento à risca.

Temperaturas no amanhecer também estão elevadas / Foto: Ciro Groh / Especial
Temperaturas no amanhecer também estão elevadas / Foto: Ciro Groh / Especial

Em uma semana de calor histórico, como foi o caso desta última, os militares sofrem embaixo da farda cáqui. Guilherme Sedrez é PM há cinco anos e trabalha no 18º Batalhão de Polícia Militar. Ele comenta que os últimos dias têm sido bastante quentes. “Já passei calor em Brusque, mas como este eu não sei”, diz.

Sedrez conta que conviver com o calor é uma constante da profissão, por isso já está acostumado e, inclusive, conhece os truques para tentar minimizar o calor. Segundo ele, o regulamento determina que o PM use uma camiseta por baixo da farda. O segredo é utilizar um tecido que transpire melhor. “E a garrafinha d’água, que sempre tem que ter”, afirma.

Temperaturas históricas

Os dados das estações de Ciro Groh revelam a impressionante realidade. Por exemplo, no dia 18, a estação do bairro Rio Branco registrou temperatura auge de 36,6ºC. A sensação térmica: 44ºC. E este dia não foi exceção, pois no dia 20 teve outro recorde. Na pele, os brusquenses, sentiram 43ºC. Além disso, neste dia Brusque foi a cidade mais quente em todo o estado, conforme o levantamento feito por Carlos Grothoff, de Timbó, e publicado no blog de Ciro Groh. O dia “mais frio” da semana foi terça-feira, 19, com 34,2ºC.

“Os números do calor fora de época continuam extrapolando todas as expectativas em Brusque, sendo que nesta quarta-feira, 20, teve quebras de recorde em minhas estações. 36,6ºC/bairro Centro e 36,3ºC/bairro Rio Branco foram os valores mais altos por mim registrados desde 1º de Janeiro de 1987. Vale destacar também, as mínimas da madrugada/amanhecer, que estão com dados muito acima do normal para esta época do ano, entre 24ºC e 25ºC com forte abafamento”, escreveu Ciro Groh em seu blog.

Brusque figurou entre as cidades mais quentes do estado em vários dias da semana, de acordo com o levantamento de Grothoff. Mas não foram apenas os brusquenses que sofreram. Em Botuverá, no dia 20, a temperatura no pequeno município foi de 35,2ºC, segundo registro na estação da Epagri, e a sensação térmica de quase 50ºC.

Verão fora de hora

O meteorologista Ronaldo Coutinho, do Climaterra, explica que esta onda de calor intenso é reflexo do famoso El Niño. O fenômeno climático tem evitado que ondas de vento frio cheguem ao estado.

Coutinho diz que também deve-se levar em conta o ciclo natural do tempo. Segundo ele, é normal haver meses de abril mais quentes ou mais frios do que a média histórica de tempos em tempos.

Gilsânia Cruz, meteorologista da Epagri/Ciram, complementa a avaliação de Coutinho. “O que estamos vivenciando nesta semana é intenso e tem mantido os sistemas atmosféricos instáveis com tempestades severas entre a Argentina, Uruguai e sul do Rio Grande do Sul. Por outro lado, o estado de Santa Catarina, ou melhor, o centro sul do Brasil está sob a influência de uma forte massa de ar seco e quente que inibe a formação de nuvens de chuva e mantém a temperatura alta”, diz.

Gilsânia também ressalta que os bloqueios atmosféricos são normais, mas no mês que vem. São eles que causam os veranicos de maio, tradicionais em Santa Catarina.

Refresco só amanhã

De acordo com Ronaldo Coutinho, a população do Vale do Itajaí pode esperar que o calor diminua a partir de amanhã. É quando o bloqueio atmosférico deve sair de cima de Santa Catarina, e, com isso, uma frente fria deve chegar ao estado. “Vai haver uma mudança brusca, vai sair do verão para o inverno”, afirma o meteorologista.

Segundo a meteorologista da Epagri/Ciram, de terça-feira para quarta-feira, 27, deve chegar a onde de frio. “Uma frente fria avança por Santa Catarina trazendo chuva forte e temporais, e na sequência declínio acentuado na temperatura devido a chegada de uma intensa massa de ar frio de origem polar no Sul do Brasil”, diz Gilsânia.

20160425-9

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio