Brusquenses apostam no comércio de porta em porta

Moradores deixaram seus empregos para se dedicar exclusivamente ao negócio

  • Por Redação
  • 11:27
  • Atualizado às 17:31

Brusquenses apostam no comércio de porta em porta

Moradores deixaram seus empregos para se dedicar exclusivamente ao negócio

  • Por Redação
  • 11:27
  • Atualizado às 17:31
  • +A-A

Os brusquenses apostam cada vez mais no negócio de venda direta. Para alguns, o que começou apenas como uma oportunidade de renda extra, hoje é a principal fonte de sobrevivência.

Leia também: Clientes sacam notas falsas em caixas eletrônicos de Brusque

O casal Clarice Dietrich Dalmolini e Sérgio Dalmolini, do São Luiz, é um exemplo disso. Clarice trabalhava num escritório e paralelamente começou a fazer “um bico” e vender produtos da Natura. As vendas começaram a dar resultados e ela deixou o trabalho para se dedicar exclusivamente ao negócio. O esposo também era funcionário no setor de vendas de uma empresa, porém, o empreendimento fechou e ele decidiu ajudar a mulher. Atualmente faz 21 e 18 anos, respectivamente, que eles são consultores da Natura.

Dalmolini conta que possui uma clientela fixa, que compra mensalmente ou a cada 60 dias. Os produtos mais solicitados são da linha de perfumaria, desodorantes e hidratantes para o corpo. O trabalho do casal é realizado 100% na rua, em atendimentos em escritórios e lojas. Em média, juntos, eles conseguem faturar um bom valor.

“A Natura dá suporte para que se inicie as vendas. Além disso podemos fazer os nossos horários, mas trabalhamos muito, às vezes até as 9 da noite. O importante é batermos as metas que nós mesmos estipulamos”, diz Dalmolini.

Reconhecimento e liderança

Elaine Rincawesky, do Santa Rita, sempre teve o sonho de ser uma executiva. Sendo consultora de uma multinacional de cosméticos, ela está mais perto de realizar seu objetivo. Elaine é formada em transações imobiliárias e trabalhava como corretora de imóveis numa empresa do município até dezembro do ano passado. Antes ela já era consultora da MK, mas não integralmente. Também foi consultora de outras quatro marcas: da Natura, Avon, Boticário e da Racco. Agora, ela conta que pode se dedicar 100% ao negócio e angariar uma melhor renda. “A MK oferece plano de carreira e eu busco reconhecimento, oportunidade de liderança e flexibilidade de horários”.

Atualmente Elaine ocupa o posto de futura diretora de vendas e diz que revendendo a marca pode-se conquistar, no mínimo, uma renda de R$ 1 mil. “Eu queria ser executiva, não sabia nem como e nem onde. Então eu conheci a MK e de fato me encontrei. Me relaciono com muitas pessoas e até a minha autoestima melhorou”, salienta.

A consultora ainda conta que realiza, no Pink Espaço MK, num salão do Santa Rita, demonstrações com os produtos. No local, os clientes conhecem mais sobre a marca e experimentam a linha de perfumaria, maquiagem e hidratantes.

Brusque possui consultoras da Tupperware - utensílios domésticos para cozinha / Foto: Divulgação
Brusque possui consultoras da Tupperware – utensílios domésticos para cozinha / Foto: Divulgação

Marli Teresinha Dell Agnolo Bonfante, do Santa Rita, é uma microempreendedora e lidera um grupo de consultoras da Tupperware (utensílios domésticos para cozinha). Ela conta que era consumidora da marca e que “foi se apaixonando” pela praticidade e qualidade dos produtos, até que decidiu ser uma consultora há quatro anos.

Marli afirma que já havia trabalhado como balconista e que tinha noção de vendas, e que quando começou no negócio seu filho recém tinha nascido. “Eu gostava tanto dos produtos, de todas as linhas, que fui pensando em trabalhar com vendas. A ideia foi crescendo, amadurecendo até que fluiu e hoje faço isso”.

A líder conta que no seu grupo está uma das cinco melhores vendedoras da Tupperware de Santa Catarina e do Brasil. Segundo Marli, é possível com o trabalho ter uma renda de até R$ 10 mil no mês. “Com certeza é possível sobreviver com este negócio. Estou muito feliz. Pode ser uma renda extra, mas pode sim ser a única fonte de renda. Claro que é preciso disciplina, esforço e dedicação”.

Venda direta

A venda direta é um sistema de comercialização de bens de consumo e serviços baseado no contato pessoal entre vendedores e compradores, fora de um estabelecimento comercial fixo. No Brasil esse mercado conta com mais de 4,5 milhões de pessoas em sua força de vendas, gera cerca de 8 mil empregos diretos.

A World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), federação mundial das associações de vendas diretas, divulgou os números totais das vendas diretas do ano passado. Foram quase 184 bilhões de dólares, o que coloca 2015 como recordista do setor em vendas totais. O aumento foi de 7,7% em relação a 2014, sendo que todas as regiões analisadas tiveram aumento de venda.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio