Candidato a vice-prefeito, Moacir Giraldi (DEM) comenta intenções se for eleito com Jones Bosio (DEM)

"Como vereador, não consegui fazer a clínica deslanchar", afirma Giraldi

  • Por Redação
  • 7:00
  • Atualizado às 13:52

Candidato a vice-prefeito, Moacir Giraldi (DEM) comenta intenções se for eleito com Jones Bosio (DEM)

"Como vereador, não consegui fazer a clínica deslanchar", afirma Giraldi

  • Por Redação
  • 7:00
  • Atualizado às 13:52
  • +A-A

Defensor dos direitos dos animais, Moacir Giraldi juntou-se ao Democratas neste ano. Ele compõe a chapa pura do DEM ao lado de Jones Bosio, que concorre como prefeito. Giraldi disse, na sabatina feita pelo Município Dia a Dia, que pretende ser um vice-prefeito ativo e fazer a ligação entre a comunidade e a prefeitura.

Giraldi é o terceiro candidato a vice-prefeito entrevistado pelo jornal. A ordem dos entrevistados foi definida em sorteio realizado na presença de representantes das coligações. Ele concedeu entrevista na qual falou das suas intenções como vice-prefeito e do desafio de fazer campanha.
Atualmente, o candidato é vereador. Foi eleito em 2012 com a bandeira de ser protetor dos animais. Ele afirma que está trabalhando na causa animal há mais de 16 anos. Na Câmara, ele propôs a criação de uma clínica veterinária pública.

Apesar de aprovado, o projeto não foi posto em prática. Caso eleito, ele diz que a criação do espaço será uma das suas prioridades.
Giraldi diz que aceitou o desafio de concorrer à Prefeitura de Brusque a pedido de Bosio, que voltou ao partido, no ano passado, com a intenção de disputar as eleições de 2 de outubro.


Papel do vice-prefeito

Assim como outros candidatos a vice já declararam, Giraldi também não pretende assumir nenhum cargo no primeiro escalão da administração municipal se for eleito. “Como vice-prefeito, vou fazer diferente das outras administrações, em que geralmente o vice-prefeito assume algum papel. Na última gestão [de Paulo Eccel], o vice assumiu o Samae. Isso, eu não farei”, diz.

O candidato diz que o vice-prefeito deve ser um elo entre a prefeitura e a população. Para isso, deve percorrer os bairros, visitar obras e postos de saúde. Ele afirma que o vice não deve apenas ficar no prédio da prefeitura, deve ir em busca de contato do povo.

Apesar de não querer, Giraldi não descarta assumir alguma secretaria, caso seja necessário por causa da questão financeira, no entanto, só em último caso.


Articulação com a Câmara

O candidato do DEM foi eleito em 2012 como vereador, ainda pelo PTdoB. Nos quase quatro anos, angariou experiência no parlamento e, agora, diz que irá colocá-la em prática. Giraldi diz que terá papel na articulação com a Câmara de Vereadores, para evitar que pautas-bomba sejam rechaçadas.

“Um dos pontos importantes para o vice-prefeito e para o prefeito é fazer essa articulação. Com os projetos que são encaminhados, tem que ter esta articulação. Tem projetos polêmicos que são encaminhados e é preciso explicar que são importantes para a comunidade”, diz Giraldi.


Composição da chapa

Inicialmente, o DEM iria compor a chapa com o PP, com José Luiz Cunha, o Bóca, na cabeça de chapa. Entretanto, nas convenções partidárias os progressistas fecharam com o PSDB e o DEM se viu sozinho.

O plano B foi sair com chapa pura. Jones Bosio chamou, então, Giraldi para concorrer. “O Jones Bosio me convidou e eu atendi o pedido. Para mim, é um desafio. Sou vereador e concorri a deputado federal, fui o mais votado. É um desafio importante”, afirma.

Ele acredita que o fato de concorrer com chapa pura não terá influência no relacionamento com a Câmara, caso eleitos.


Clínica veterinária

Giraldi tentou a criação de uma clínica veterinária pública na Câmara de Vereadores. Em 2014, ele quase conseguiu, por meio de uma emenda em um projeto de lei, no entanto, o artigo foi vetado.

No ano passado, foi incluído no Orçamento de 2016 R$ 400 mil para a construção da clínica. Até hoje, nada foi feito, mas o candidato diz que usará este dinheiro (que fica disponível até março de 2017).

“Como vereador, não consegui fazer a clínica deslanchar. Como vice-prefeito, vai ficar fácil. Porque temos o terreno da prefeitura, que fica no Cedrinho, é público”, afirma Giraldi. Segundo ele, o custeio da clínica, exceto funcionários, é de R$ 8 mil mensais.

Além da clínica, ele também quer um orçamento específico para a área. “A exemplo de outras cidades, vamos implantar a Secretaria de Bem-Estar Animal”, diz o democrata.


Grandes obras

O candidato democrata aproveitou os minutos para as considerações finais para falar de propostas para áreas. Antes, comentou sobre as dificuldades do município. “Não vamos prometer obras faraônicas, porque sabemos que com o orçamento do ano que vem, que é menor do que o desse, nenhum prefeito vai conseguir fazer obras faraônicas”.

Na saúde, ele afirma que o foco será em melhorar a atenção básica, nos postos de saúde. Também diz que, se eleita, a chapa irá criar um centro de imagem em Brusque, pra facilitar no diagnóstico de câncer.

A chapa também quer dobrar a compra de serviços médicos do Hospital Azambuja e fazer com que o Hospital Dom Joaquim atenda 24 horas por dia.

Na educação, a proposta dos democratas é construir novas creches e tornar o funcionamento das que já existem, gradativamente, em dois turnos, para as mães que trabalham em fábricas. Giraldi afirma que, aos poucos, também irão implantar aulas no contra-turno escolar.

Por último, afirma que, inevitavelmente, o município terá de contar com ajuda financeira do estado e da União. Também consta a intenção de continuar o prolongamento da Beira Rio e ampliar a capacidade de produção de água do Samae.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio