Carga de fertilizantes explode em terminal marítimo de São Francisco do Sul

Força-tarefa tenta controlar incêndio e evacuar as pessoas desde a noite desta terça-feira, 24 de setembro

Carga de fertilizantes explode em terminal marítimo de São Francisco do Sul

Força-tarefa tenta controlar incêndio e evacuar as pessoas desde a noite desta terça-feira, 24 de setembro

Uma força-tarefa com equipes de bombeiros voluntários e militares, polícia e Defesa Civil foi montada para trabalhar em São Francisco do Sul, onde explodiu uma carga de fertilizantes à base de Nitrato de Amônio na noite desta terça-feira, 24 de setembro. O acidente ocorreu no terminal marítimo da cidade. O Corpo de Bombeiros de Brusque foi acionado para auxiliar nos trabalhos na manhã desta quarta-feira, 25 de setembro, mas durante o deslocamento receberam a informação de que não seria mais necessário.

A Defesa Civil já fez a evacuação em bairros próximos. Cerca de 150  famílias foram retiradas de suas casas. Todas as providências estão sendo tomadas, incluindo a vinda de técnicos de Brasília e São Paulo para ajudar na operação. No local do acidente, há uma carga de 10,5 toneladas de fertilizante. A BR -280 está bloqueada na entrada de São Francisco para evitar risco às pessoas. 

Desde a madrugada, voluntários e Bombeiros Militares de São Francisco do Sul, Joinville, Barra do Sul, Araquari, Barra Velha e Itajaí trabalham para evitar explosões. Pelo menos 70 bombeiros, seis caminhões-tanque e uma autoplataforma estão sendo empregadas na operação.

Na edificação atingida pelas chamas, estavam armazenadas cerca de 10 toneladas de fertilizantes. O produto provoca irritação na pele, mucosas, sistema respiratório e nos olhos. Por este motivo, desde o início as ações foram concentradas inicialmente na retirada das pessoas dos imóveis localizados no entorno do galpão.
Por conta do vento, a fumaça já estaria chegando em cidades próximas, como Garuva e Itapoá. Nestes casos, a recomendação é que as pessoas fiquem em local fechado. 
Fumaça não é tóxica
O nitrato de amônio queima quando em contato com substâncias combustíveis. A queima ocorre como uma espécie de reação química que gera fumaça, sem chamas. O combate com o emprego de água, além de ineficaz, acaba por gerar mais fumaça que gera irritação na pele, mucosas e vias aéreas. Apesar da irritação, o produto não é tóxico.
O Corpo de Bombeiros trabalhou a madrugada inteira para manter a temperatura para evitar uma nova explosão, afirma o secretário da Defesa Civil de SC, Milton Hobus. “Não é um gás tóxico, é um gás oxidante. As pessoas têm que evitar inalar esse pó, ficando o mais longe possível”, alerta Hobus.
O secretário salienta que a mudança do vento pode levar a fumaça para outra direção, por isso, a importância de deixar as áreas próximas ao local da explosão. Se inalada, a fumaça provoca coceira na garganta e náuseas.
>> Confira vídeo da explosão

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio