Forte chuva causa alagamentos e deslizamentos em Brusque

Casos mais graves foram nos bairros Poço Fundo e Águas Claras

Forte chuva causa alagamentos e deslizamentos em Brusque

Casos mais graves foram nos bairros Poço Fundo e Águas Claras

A forte chuva que caiu na tarde desta sexta-feira, 3 causou transtornos em vários bairros de Brusque. Foram registrados alagamentos em Águas Claras, Paquetá, Nova Brasília, Primeiro de Maio e Azambuja, principalmente nas vias públicas, mas também em algumas casas.

“Tivemos um acumulado de 80 milímetros em duas horas. Não foi tão concentrada quanto dia 5 de janeiro, quando tivemos um acumulado de 90mm em pouco menos de uma hora. Mas ainda assim tivemos problemas em alguns pontos da cidade”, diz o coordenador técnico da Defesa Civil, Edevilson Cugik.

Até as 20h, a Defesa Civil havia registrado três ocorrências mais graves. Na rua Brasil, no Poço Fundo, um deslizamento atingiu paredes de madeira de uma casa. Os moradores ficaram desalojados, portanto, foram para casa de parentes. Outro registro, não detalhado, foi na rua PF-003, também no Poço Fundo.

Na rua AC-007, no bairro Águas Claras, um muro represou a água da chuva e atingiu os fundos de uma residência. Técnicos estão nos locais afetados para avaliar caso a caso.

Apesar da trégua na chuva, a Defesa Civil orienta atenção aos moradores de regiões afetadas. “É importante que os moradores mantenham o monitoramento, por conta de deslizamentos, principalmente quem mora perto de barrancos. É preciso ficar atento a alguma movimentação de terra, barulho de árvores estralando”, completa Cugik. O órgão pode ser acionado pelo 199.

O Corpo de Bombeiros não recebeu chamados de resgate, apenas pedidos de vistorias solicitadas pela Defesa Civil.

A chuva também causou problema ao trânsito, com pontos de lentidão e dificuldade de moradores em saírem de suas residências.

Fornecimento de água

As estações de tratamento de água do Zantão e do Dom Joaquim foram paralisadas temporariamente por conta da turbidez elevada da água. A estação do bairro Limeira também foi paralisada, mas por falta de energia elétrica.

“Nós não acreditamos no desabastecimento das localidade pois, antes das chuvas, os reservatórios estavam cheios”, explica o diretor-presidente do Samae, Juliano Montibeller. No loteamento Dell’Agnolo houve a paralisação de estação elevatório que abastece a parte alta, mas ela já voltou a funcionar.

**Atualizado às 20h57

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio