Com invasões de cachorro, Sete de Setembro e Poço fundo empatam

Partida valeu pela segunda rodada do Campeonato de Futebol Amador de Brusque

Com invasões de cachorro, Sete de Setembro e Poço fundo empatam

Partida valeu pela segunda rodada do Campeonato de Futebol Amador de Brusque

Sete de Setembro e Poço Fundo empataram em 1 a 1 no estádio Reinoldo Wervibe, neste domingo, 19. Entretanto, quem roubou a cena foi um cachorro que invadiu o gramado por três vezes e deixou o jogo em si em segundo plano.

A peleja foi válida pela segunda rodada do Campeonato de Futebol Amador de Brusque – Taça Zehn Bier, mas teve tudo e mais um pouco da Copa Libertadores – uma competição que, ainda hoje, preserva o “amadorismo”, no bom sentido da palavra, do futebol.

Para enumerar os itens que comprovam que o Reinoldo Wervibe recebeu um confronto de Liberta basta falar que teve cachorro em campo, divididas duras, chiadeira com o “seu juiz” e dois times muito aguerridos.

O goleiro Luciano de Araujo Jesus Filho estava perseguido pelo cão, que invadiu a sua área ainda na primeira etapa. O arqueiro driblou o bicho, que foi embora sozinho. Após o “incidente”, o atleta viu o Sete de Setembro abrir o placar de falta, cobrada lindamente pelo camisa 2, Marcionei de Liz Neto.

Mais fraco tecnicamente, o Sete de Setembro achou o gol, pois pouco incomodava no ataque. O porte físico e a qualidade do Poço fundo se impuseram, entretanto, no futebol, quem não faz toma. O Sete fez, e se segurou como pôde.

Outro sinal de que o jogo estava à Libertadores: no fim do primeiro tempo, o zagueiro Everton Rech dos Santos derrubou o atacante do Poço e foi mais cedo para o vestiário. A torcida, em pequeno número, mas em alto volume, chiou para cima do juiz, que já vinha escutando reclamações de ambos os lados desde o primeiro minuto.

O árbitro Leandro Cipriano  teve trabalho no Reinoldo Wervibe. Nos primeiros 15 minutos de bola rolando, foram três cartões amarelos. No jogo inteiro, meia dúzia de amarelos e um vermelho. Resultado do jogo pegado. Pelos menos quatro vezes algum jogador ficou estirado no gramado para recuperar o fôlego.

Marcos Borges

Sai daqui

Mais forte, com um jogador a mais e atual campeão, o Poço Fundo tinha a obrigação, embora jogando fora, de partir para cima do Sete de Setembro. O empate veio com o camisa 10, Gustavo Silveira, perto dos 8 minutos.

Mas os bons valores do elenco não se encontraram e não passaram disso. Não souberam aproveitar a maior estatura perante a defesa adversária, tampouco “abriram o jogo”, como manda o manual do futebol 11 contra 10.

O cachorro, então, resolveu entrar em campo novamente. E de novo o goleiro Luciano abriu o portão para que o serelepe animal fosse embora. Mas, como que antevendo que a partida ficaria no 1 a 1, o bicho voltou à cena

Ele entrou no campo pela terceira vez e pulou nos atletas, arrancando gargalhadas da torcida e dos bancos de reserva. O cão foi embora após alguns minutos, mas, quando o fez, já havia roubado os holofotes.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio