Conheça os recordes a serem igualados ou quebrados na Copa do Mundo 2018

Thomas Müller tenta se aproximar do ex-companheiro Miroslav Klose na artilharia geral; egípcio se tornará o jogador mais velho

Conheça os recordes a serem igualados ou quebrados na Copa do Mundo 2018

Thomas Müller tenta se aproximar do ex-companheiro Miroslav Klose na artilharia geral; egípcio se tornará o jogador mais velho

A Copa do Mundo chega à sua 21ª edição em 2018 carregada de história e de recordes. Diversos deles poderão ser quebrados ou igualados em solo russo: jogador mais velho a disputar um mundial, seleção com mais títulos, técnico com mais títulos, artilharia.

Um recorde, inclusive, já está quebrado. Os 736 atletas convocados possuem, em média, 28 anos de idade. É a Copa do Mundo com média de idade mais elevada na história. Além disso, o jogador mais jovem desta edição é o meia australiano Daniel Arzani, que joga pelo Melbourne City e possui 19 anos. Ele é mais velho do que os caçulas convocados desde 1994.

Quando a final for disputada, em 15 de julho no Estádio Lujniki, em Moscou, a Copa do Mundo terá chegado à marca de 900 partidas disputadas por 79 seleções diferentes. Apenas duas delas são estreantes: os pequeninos Panamá, de cerca de 3,5 milhões de habitantes, Islândia, com pouco mais de 330 mil.

O recorde mais importante e mais visado que pode ser quebrado em 2018 é o de maior artilheiro da história das Copas. O polonês naturalizado alemão Miroslav Klose marcou nada menos que 16 gols entre as edições de 1998 e 2014 — com o último sendo marcado justamente no fatídico 7×1 contra o Brasil — e superou Ronaldo, que possui 15 gols. Agora, com 10 gols em 13 jogos nas Copas de 2010 e 2014, o atacante alemão Thomas Müller tem a chance de ser o dono do recorde caso continue iluminado como foi no Brasil e na África do Sul.

Para esta marca específica, a única esperança em 2018 é mesmo Thomas Müller. Os jogadores que estão mais próximos de superar Klose e que disputam a Copa do Mundo neste ano é James Rodríguez, com seis gols marcados. Lionel Messi, James Rodríguez, Luís Suárez, Gonzalo Higuaín e Tim Cahill vêm atrás, com cinco tentos cada.

Uma marca atingida na Copa de 2014 que com certeza está com seus dias contados é a de jogador mais velho a disputar o Mundial. Em 24 de junho de 2014, o goleiro colombiano Faryd Mondragón, com 43 anos na época, entrou aos 40 minutos do segundo tempo na partida contra o Japão e superou o recorde do atacante camaronês Roger Milla, conquistado em 1994. Em 2018, o goleiro egípcio Essam El-Hadary chega com 45. Não é difícil imaginar que o arqueiro, titular regulamente, dispute pelo menos uma das três partidas do Egito na fase de grupos

Ausência de peso
Esta edição do Mundial não conta com todas as oito seleções campeãs na história do torneio. A ausência é da Itália, eliminada na repescagem europeia para a Suécia. Os outros sete campeões disputam a Copa em 2018. A última vez que houve ausência de uma equipe campeã foi em 2006, quando o Uruguai ficou de fora.

Países como Holanda, Chile e Estados Unidos nunca conquistaram a taça, mas tiveram desempenhos importantes nas últimas edições. Por isso, são considerados grandes ausências.

Os campeões
Brasil (5 títulos: 1958, 1962, 1970, 1994, 2002)
Alemanha (4 títulos: 1954, 1974, 1990, 2014)
Itália (4 títulos: 1934, 1938, 1982, 2006)
Argentina (2 títulos: 1978, 1986)
Uruguai (2 títulos: 1930, 1950)
Espanha (1 título: 2010)
França (1 título: 1998)
Inglaterra (1 título: 1966)

Seleções eliminadas sem ter perdido um jogo
Escócia (1974), Brasil (1978, 1986), Camarões (1982), Inglaterra (1982, 2006), México (1986), Itália (1990, 1998), Bélgica (1998), Espanha (2002), Irlanda (2002), França (2006), Suíça (2006), Argentina (2006), Nova Zelândia (2010), Costa Rica (2014)

Gol mais rápido
Hakan Șükür (11s – Turquia vs. Coreia do Sul, 2×3, 2002)

Partida com mais gols
Áustria 7×5 Suíça (1954)

Top 5 – Artilheiros
1º – Miroslav Klose (Alemanha – 16 gols)
2º – Ronaldo (Brasil – 15 gols)
3º – Gerd Müller (Alemanha – 14 gols)
4º – Just Fontaine (França – 13 gols)
5º – Pelé (Brasil – 12 gols)
Ameaçados em 2018 por Thomas Müller (Alemanha – 10 gols)

Jogador com mais gols em uma única partida
Oleg Salenko (5 – Rússia 6×1 Camarões, 1994)

Jogador com mais títulos
Pelé (3 – 1958, 1962, 1970)

Jogador com mais partidas
Löthar Matthäus (25 – Alemanha – 1982, 1986, 1990, 1994, 1998)

Jogador com mais gols em uma única edição
Just Fontaine (13 – França – 1958)

Jogador mais novo
Norman Whiteside (17 anos e 41 dias – Irlanda do Norte, 1982)

Jogador mais velho
Faryd Mondragón (43 anos e 3 dias – Colômbia, 2014)
Ameaçado em 2018 por Essam El-Hadary (45 anos, Egito)

Técnico que mais venceu copas
Vittorio Pozzo (1934, 1938)
Pode ser igualado em 2018 por Joachim Löw (Alemanha)

Técnico com mais partidas
Helmut Schön (25 – Alemanha Ocidental – 1966-1978)

Curiosidades 2018

País com mais técnicos
Argentina: 4 – Héctor Cúper (Egito), Ricardo Gareca (Peru), Jorge Sampaoli (Argentina), José Pekerman (Colômbia)

Top 5 – clubes que mais têm jogadores
1º – Manchester City (16)
2º – Real Madrid (15)
3º – Barcelona (14)
4º – Paris Saint-Germain e Tottenham (12)

País que mais cedeu jogadores de suas ligas
Inglaterra (129 – 17,53% do total. 106 da Premier League, 24 de divisões inferiores)

Clubes brasileiros com jogadores convocados
Corinthians (Cássio, goleiro, e Fagner, lateral direito, ambos do Brasil)
Cruzeiro (Giorgian de Arrascaeta, meia do Uruguai)
Flamengo (Miguel Trauco, lateral esquerdo, e Paolo Guerrero, atacante, ambos do Peru)
Grêmio (Pedro Geromel, zagueiro do Brasil)
Palmeiras (Miguel Borja, atacante da Colômbia)
São Paulo (Christian Cueva, meia do Peru)
Vasco da Gama (Martín Silva, goleiro do Uruguai)

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio