Conteúdo exclusivo para assinantes
Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Datafolha divulgará primeira pesquisa eleitoral sem Lula

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Datafolha divulgará primeira pesquisa eleitoral sem Lula

Raul Sartori

Na frente
O Instituto Datafolha divulgará neste fim de semana a primeira pesquisa eleitoral com o nome do ex-presidente Lula fora da cartela de pré-candidatos. Como em simulações anteriores, a expectativa dos analistas políticos é que Jair Bolsonaro subirá para o primeiro lugar. Inclusive em SC.

Lobby 1
A alta cúpula do Judiciário catarinense fez uma peregrinação por vários gabinetes da Assembleia Legislativa, nesta semana, antes de protocolar um anteprojeto de lei que pode dar muito o que falar neste momento de penúria financeira: prevê a criação de 462 novos cargos de assessores com lotação nos gabinetes dos juízes que atuam nas comarcas do Estado.

Lobby 2
A justificativa é que é preciso combater a morosidade na tramitação dos atuais 2,7 milhões de processos distribuídos nas 111 comarcas catarinenses. Mas que tal cobrar um mínimo de produtividade de algumas dezenas dos 373 juízes e reduzir as férias de 60 dias para 30, como todos os demais trabalhadores?

Detalhes
É de interesse público saber que o professor Ubaldo Cesar Balthazar, 65, eleito anteontem o novo reitor da UFSC, com 54% dos votos, é filiado ao PT e integrante da Maçonaria. Reitor filiado a partido político, seja qual for, convenhamos, não é nada republicano. O bom senso recomenda sua desfiliação, se for o incensado pelo MEC e Temer.

Mofo
O deputado Leonel Pavan, que acaba de deixar o cargo de secretário de Estado do Turismo, Cultura e Esporte e que lidera um lobby para salvar a pasta da degola prometida pelo governador Pinho Moreira, conta que um dos problemas principais é a burocracia. E bota burocracia nisso. No momento seus servidores estão apreciando prestações de contas de 10 anos atrás. Há casos de atletas que receberam R$ 10 mil para representar SC em competições, e agora, uma década depois, têm que devolver. É melhor mesmo que feche.

Vanglória
O deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) foi à tribuna para falar do sucesso do campeonato catarinense de futebol deste ano e comemorar a volta da venda da cerveja aos estádios. Acha que a medida deu prestígio à produção de cerveja artesanal. Assim, a lei de sua autoria mostrou-se acertada e contribuiu para aumentar a renda dos clubes e levar mais torcedores aos estádios. Há controvérsias.

Sem quórum
De lamentar que anteontem faltou quórum na Assembleia Legislativa para votação de vários projetos de lei que estavam programados. O 1º vice-presidente, deputado Silvio Dreveck (PP), que presidia a sessão, afirmou que só realizaria a votação se houvesse 21 deputados em plenário. Após verificação, apenas 13 confirmaram presença. E isso vem se repetindo com preocupante frequência.

Sem privilégio
O deputado federal Celso Maldaner (MDB-SC) é autor de uma das 29 Propostas de Emenda Constitucional que tramitam no Congresso Nacional para acabar com o foro especial por prerrogativa de função – o chamado foro privilegiado, concedido a autoridades para serem julgadas por um tribunal diferente ao de primeira instância. Para ser protocolado na Casa, o documento com a proposta precisou 171 assinaturas de deputados. Maldaner está perto de ter 200.

Nota fiscal
A exemplo do que já acontece em 14 Estados e no Distrito Federal, o governo federal pode instituir o programa “Nota Azul”, de concessão de créditos da União para o consumidor que pedir a emissão da nota fiscal de compras e serviços. É o que estabelece o projeto de lei do Senado, de autoria do senador Paulo Bauer (PSDB-SC), que aguarda designação do relator na Comissão de Assuntos Econômicos. Pelo projeto, o consumidor que solicitar a nota fiscal e inserir sua identificação através do CPF terá direito a restituição de até 30% do PIS/Pasep e da Cofins recolhidos, até o limite de 7,5% do valor total da nota.

Segurança pública
O presidente Michel Temer criou em 27 de fevereiro o Ministério Extraordinário da Segurança Pública e nomeou o ex-ministro da Defesa Raul Jungmann para comandar as ações de combate à violência e ao crime organizado no país. O senador Dário Berger (PMDB-SC) foi designado para apresentar um plano de trabalho, já pronto, para a Comissão Mista que analisa a medida provisória.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio