Duplicação municipal da Rodovia Antônio Heil é discutida com empresários

Duplicação municipal da Rodovia Antônio Heil é discutida com empresários

Empresários foram convidados para uma troca de ideias – Crédito: Prefeitura de Brusque

Uma troca de ideias foi realizada nesta quinta-feira, 3, quando o prefeito de Brusque, Paulo Eccel, acompanhado dos técnicos do Instituto Brusquense de Mobilidade e Planejamento, IBPLAM, apresentou o projeto de Duplicação do trecho Municipalizado da Rodovia Antônio Heil a um grupo de empresários e comerciantes que têm suas atividades às margens da via.

 
O trecho duplicado compreende seis quilômetros desde a ponte do Ribeirão Limeira, antes da Uvel, até a Praça Vicente Só. Haverá trechos em que as pistas duplas chegarão entre 6 e 7 metros de largura. O projeto foi realizado pela empresa Greide Engenharia, e apresentado ao grupo pelo engenheiro Dirk Reiter, que já trabalhou na Prefeitura de Brusque, onde iniciou o desenvolvimento desse estudo há mais de três anos.
 
Com a duplicação, o objetivo da Administração Municipal é dar mais fluxo ao tráfego da rodovia, que tem demonstrado pontos e momentos de trancamento e filas com mais frequência. Além da ampliação das pistas, também um significativo projeto de sinalização indicativa acompanhará a obra e toda a reconfiguração da drenagem pluvial.
 
Durante o encontro, dúvidas foram esclarecidas, críticas apresentadas e a troca de ideias proporcionou a sugestão de ajuste do projeto sobre um ponto específico, a construção de canteiros dividindo as pistas. A opinião de muitos empresários locais convergiu demonstrando que o canteiro não contribui para a flexibilidade de ir e vir do turista, de maneira que ele teria que usar as rótulas previstas para o retorno.

– Acho louvável todo o projeto, mas acho que esse trecho deve ser considerado para que não prejudique o comércio, esse canteiro poderá prejudicar o cliente – comentou o empresário Luciano Hang.

 
– Era isso que a gente queria – enfatizou o prefeito, elogiando as iniciativa dos empresários em discutir o projeto.
 
Eccel também lembrou que todo o projeto contempla o pedestre, e todos os agentes do trânsito, priorizando passeios e ciclofaixas, além de sinalização e iluminação, para dar todo o conforto e segurança aos usuários da via, além de oferecer um acesso ao município, esteticamente mais agradável.

– Podemos dizer que esta é a principal via de chegada da riqueza em Brusque, e a apresentação do projeto não poderia ser de forma unilateral, por isso queremos debater com os empresários o projeto, como temos feito por toda a cidade.

 
Ao final do evento o chefe do executivo brusquense reforçou a decisão de revisão do projeto, e adiantou que, independente desta novidade, os trechos onde o impacto não implica em tantas mudanças, como a área da Uvel até o cemitério em Santa Terezinha, já deverá ser iniciado em breve e, assim que finalizado, passa-se para o trecho da Praça Vicente Só até o início do Mont Serrat.
 
Neste momento Eccel também apresentou uma proposta de contrapartida aos empresários, que no decorrer das obras, conforme os trechos fossem finalizando, os proprietários aderissem ao projeto de padronização das calçadas, que são de responsabilidade dos donos de terrenos. Não houve rejeição quanto ao pedido, ao contrário, todos se demonstraram solícitos com a ideia.
 
Os transtornos em função das obras foi lembrado por um dos convidados, que também perguntou sobre os prazos previstos. Com a alteração do projeto os prazos devem mudar, mas a Secretaria de Obras está programada para entrar com a ação assim que tudo estiver resolvido.

– No decorrer da obra vamos tentar promover o menor transtorno possível, mas isso faz parte do processo. A melhor opção para não ter transtorno em obra pública é não fazê-la mas essa não é nossa opção, queremos construir uma Brusque cada vez melhor, e essa obra vai permitir mais qualidade de vida para moradores e visitantes – enfatizou Paulo Eccel.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio