Enquanto obra na praça de Azambuja não reinicia, local vira ponto de descarte

Obra deveria ter sido entregue em novembro, mas foi paralisada por falta de recursos

Enquanto obra na praça de Azambuja não reinicia, local vira ponto de descarte

Obra deveria ter sido entregue em novembro, mas foi paralisada por falta de recursos

Prevista para ser concluída em novembro de 2015, a construção da praça do bairro Azambuja deve reiniciar nas próximas semanas. A obra no terreno localizado na esquina das ruas Azambuja e Pedro Cardeal iniciou no dia 10 de agosto do ano passado, porém, dias após seu início, foi paralisada. O motivo: falta de recursos. “A princípio, a paralisação foi de 120 dias a partir de agosto porque não havia recurso federal”, diz o engenheiro civil do Departamento Geral de Infraestrutura (DGI), Rafael Kniss.

Área está localizada na esquina das ruas Azambuja e Pedro Cardeal / Foto: Divulgação
Área está localizada na esquina das ruas Azambuja e Pedro Cardeal / Foto: Divulgação

Porém, no mês de novembro, o governo federal liberou R$ 8.313,17, o que corresponde 3,34% do valor total da obra, que é de R$ 248.874,03, mas ainda assim a obra não reiniciou, desta vez, por conta de problemas com a empresa Junkes Empreendimentos, de Blumenau, vencedora da licitação para executar o trabalho. “Em novembro recebemos uma parte do recurso, e a empresa quis abandonar a obra. Tivemos todo o trabalho de manter a empresa para terminar o trabalho”.

Segundo Kniss, a empresa está definindo o novo cronograma de obras da Praça do Azambuja e, a expectativa é que a obra reinicie nas próximas semanas.

Até agora, a empresa já fez a limpeza do terreno, a ampliação da vazão do córrego, 20% do meio-fio de concreto e a fixação da placa da obra. O projeto da Praça do Azambuja prevê uma quadra de areia, espaço para playground, rede wi-fi, bicicletário, estacionamento, decks e pergolados de madeira, calçada com paver para caminhadas, gramado arborizado, bancos e uma pequena ponte para travessia de um córrego que existe na área de mais de 1.240 m².

Espaço vira lixão

A falta de movimentação no terreno onde será construída a praça está gerando um problema. A área está virando depósito de todo tipo de lixo. “Recebemos a reclamação de uma moradora informando sobre esta situação, mas no mesmo dia que fomos até lá para verificar, o lixo já havia sido recolhido”, informa Kniss.

Segundo ele, antes de reiniciar o trabalho, a empresa ou a prefeitura devem fazer a limpeza do local. “Não é o DGI o setor responsável por recolher os entulhos, nós só passamos a informação para o setor responsável. Acredito que a empresa fará a limpeza nos próximos dias”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio