Equipes do Sesi participam de torneio de Robótica neste fim de semana

Competição reunirá 30 equipes e cerca de 250 estudantes de nove a 16 anos

Equipes do Sesi participam de torneio de Robótica neste fim de semana

Competição reunirá 30 equipes e cerca de 250 estudantes de nove a 16 anos

Duas equipes do Sesi de Brusque – com seis alunos cada – , participam neste fim de semana, 4 e 5, da primeira edição regional do Torneio de Robótica First Lego League (FLL). A competição reunirá 30 equipes, envolvendo cerca de 250 estudantes de nove a 16 anos. Ao fim serão 15 premiações, incluindo diversos reconhecimentos em cada categoria e a classificação final para os três melhores desempenhos globais.

Para participar do torneio, os estudantes precisaram desenvolver projetos a partir de um temática. Neste ano é Animal Allies, ou seja, Animais Aliados. Os brusquenses competirão com os projetos Modern Bird Shelter (MBS) e Grupo de Apoio aos Animais Exóticos e Silvestres (G.A.A.E.S).

O primeiro projeto, da equipe Tecnorob Green, é uma casinha para os pássaros feita com poliuretano reciclado, sendo termoacústica e com isolamento térmico que protege os animais das variações de temperatura e possui grande durabilidade (cerca de 40 anos).

“Nós procuramos a empresa Irmãos Fischer porque eles fazem casas com este material e tinham muitas sobras, então, prontamente, aceitou nos ajudar neste projeto, inclusive vão fazer sete casinhas pra gente levar ao torneio”, conta a estudante Amanda Hoff Battisti, de 13 anos.

O técnico da equipe, Thiago Bertoluzzi, diz que a intenção é, neste primeiro momento, instalar as casinhas em dois pontos da cidade, na praça Barão de Schneeburg e na praça Sesquicentenário e, no futuro, comercializá-las.

A segunda equipe, Tecnorob Red, com o projeto G.A.A.E.S., tem como objetivo orientar as pessoas sobre o que fazer ao encontrar um animal exótico ou silvestre. O grupo criou um site e vai fazer uma campanha explicando para as pessoas quais procedimentos deve, tomar ao encontrar um destes animais. “Descobrimos que muitos animais silvestres estão indo para os centros em busca de proteção e alimentos e acabam em residências onde as pessoas não sabem o que fazer com eles, às vezes até matam. A gente vai conscientizar a população os procedimentos corretos”, diz a aluna Ana Carolina Nuss, 13.

Participação internacional

A participação dos alunos do Sesi nesta etapa regional foi inspirada após a conquista inédita no FLL, que aconteceu nos Estados Unidos, no ano passado. Thiago Day, 15, foi um dos estudantes que esteve no país e tem um pouco mais de experiência no assunto. “Foi muito bom, pois conhecemos projetos de outros lugares, outros estudantes do mundo inteiro e sem contar o que aprendemos nas palestras, principalmente da Nasa “.

Estímulo ao aprendizado

Com as aulas de robótica, o Sesi estimula o aprendizado de conteúdos como matemática, química, física e a biologia, além do desenvolvimento da criatividade e do raciocínio lógico. Durante a competição, os alunos precisam apresentar projetos respeitando quatro categorias de princípios: desafio do robô, o design do robô, projeto de pesquisa e core values (os valores fundamentais da vida, como inclusão, respeito, trabalho em equipe.

A supervisora de Educação – Ensino Fundamental Anos Finais do Sesi, Louise Dorow Caetano, destaca que o torneio vem mais uma vez ao encontro do que a instituição defende. “Focamos na pesquisa e na tecnologia e no trabalho em equipe, o que está aliada a nossa filosofia de educação”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio