Grupia tem como prioridade unificar estratégia de enfrentamento às drogas

Reunião focou no trabalho de prevenção às drogas e membros buscarão ações para combater os índices na cidade

Grupia tem como prioridade unificar estratégia de enfrentamento às drogas

Reunião focou no trabalho de prevenção às drogas e membros buscarão ações para combater os índices na cidade

O Grupo de Proteção da Infância e Adolescência (Grupia) deu início ontem, durante reunião, à construção do Plano Municipal de Enfrentamento às Drogas, como deliberado em audiência pública, na Câmara de Vereadores, no dia 13 de agosto. Segundo o conselheiro tutelar, Paulo Vendelino Kons, os esforços serão concentrados na prevenção, tratamento e reinserção social dos usuários e combate ao tráfico. “O objetivo do Grupia é dinamizar a rede constituída pelo poder público e organismos da sociedade, com a revitalização do Comad [Conselho Municipal Antidrogas] de Brusque”, explica. Além disso, buscam maior integração das ações, o diagnóstico da situação sobre o consumo das drogas e consequências, campanha permanente de mobilização, informação e orientação; e formação de recursos humanos e desenvolvimento de metodologias.

Durante a reunião, a promotora de Justiça, Susana Perin Carnaúba, enalteceu a busca de um fluxo unificado de atendimento para usuários e dependentes químicos em todas as políticas públicas e serviços ofertados pela comunidade. O diretor da Acibr, Marlon Sávio Sassi, e a advogada Sheila Cristina Carvalho Fonseca, que representa a subseção de Brusque da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SC), destacaram a importância dos registros dos atendimentos, desde a acolhida, num mesmo sistema.

O psicólogo, Jorge Odélio Schneider, coordenador do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-ad) disse que a proposta de ação do Caps-ad é a reinserção social. “Para que isso aconteça, a equipe multidisciplinar trabalha tendo em vista a criação de estratégias para cada indivíduo”. O Caps-ad atua no nível secundário de atendimento, e destina-se a atender casos graves de dependência química. O perfil do usuário de Caps-ad é aquela pessoa que devido ao vício perdeu sua autonomia, desestruturou as atividades da vida, rompeu vínculos importantes, como familiares, trabalho e relacionamentos.

O tenente coronel Moacir Gomes Ribeiro, da Polícia Militar, disse que anos atrás os maiores problemas que a polícia enfrentava eram com a ocorrência de acidentes de trânsito. “Hoje, o problema ficou maior e mais grave com o uso de substâncias entorpecentes e a reincidência das apreensões é uma constante”.

O presidente da Fazenda Canaã, pastor Ademir Luiz Fischer, apresentou os trabalhos desenvolvidos pela comunidade terapêutica e citou iniciativas locais e regionais exitosas na prevenção às drogas. Também enfatizou a importância da “Casa de Apoio”, para uma adequada transição para os que concluem o período de internação.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio