Jones Bosio é contra ampliação da Câmara

Ex-secretário regional apresenta projeto para que atual estrutura seja demolida e dê espaço à nova, na praça Sesquicentenário

Jones Bosio é contra ampliação da Câmara

Ex-secretário regional apresenta projeto para que atual estrutura seja demolida e dê espaço à nova, na praça Sesquicentenário

O ex-secretário de estado de Desenvolvimento Regional, Jones Bosio (PSD), se manifestou contrário à ideia de reforma e ampliação do atual prédio da Câmara de Vereadores, conforme proposta apresentada ao Executivo pelo colega de partido e atual presidente do Legislativo, Roberto Prudêncio Neto. Em vez disso, ele propõe que o atual prédio seja demolido e dê lugar a estacionamentos, e que uma nova Câmara seja construída no meio da praça Sesquicentenário.

“Eu queria apresentar o projeto a ele [Prudêncio] para ele apresentar ao prefeito, no sentido de tirar a Câmara de lá. Ali é um centro administrativo, e é visível que não tem mais espaço para estacionar. Tenho andado pelos bairros e fazendo visitas, e as pessoas pedem muito um espaço para estacionamento perto da prefeitura”, explica Bosio, que ainda não tem seu futuro definido, já que não há definição sobre sua recondução ao cargo, na SDR.

Ele afirma que já havia informado a Prudêncio que, se a ideia da ampliação fosse levada adiante, se manifestaria contra. “A Câmara nem era para ter sido construída ali, foi feita de uma forma errada, fora do padrão de arquitetura, pequena. Era pequena para 10 vereadores, quanto mais para 15”, justifica.

Bosio diz que, no lugar onde hoje se encontra a Câmara, deveriam ser abertas mais vagas de estacionamento, com foco em vagas para idosos e deficientes físicos. Transformando o atual espaço em estacionamento, Bosio sugere uma nova Câmara no coração da praça Sesquicentenário
O projeto

Segundo ele, isso poderia ser viabilizado sem comprometer os espaços que ali são disponibilizados à população, como a quadra e a pista de skate. Bosio elaborou o projeto em conjunto com estudantes de engenharia e arquitetura das universidades de Brusque. A ideia é de que o prédio tenha três andares, cada um com uma função diferente.
Ele explica que o primeiro andar seria um espaço para exposições e apresentações culturais. No segundo piso, funcionaria o poder Legislativo. Bosio sugere que a Câmara já seja projetada para acomodar 21 vereadores, que, num futuro próximo, Brusque certamente terá.

“Aí quando aumentar o número de vereadores vão ter que derrubar de novo para reformar. Faz para 21, faz salas de comissões, que não tem. Ali todo mundo divide sala, é uma vergonha, tem que ter respeito pelo Legislativo, a Câmara tem que ter uma condição mínima para atender a reivindicação da comunidade”, discursa.

O ex-secretário afirma que, para que a obra fosse viabilizada, uma união política buscaria recursos de emendas parlamentares de deputados estaduais, federais e de senadores catarinenses, além de recursos próprios. Além disso, ele sugere que fosse retomada uma antiga ideia do ex-prefeito Ciro Roza (PSD), abortada pelo governo que o sucedeu. “A ideia do Ciro de fazer um teatro seria incluída, no último piso do prédio da Câmara”, explica.

Por fim, ele sugere que seja implantado um estacionamento subterrâneo na praça, que ficaria também no centro dela, embaixo de onde seria construído o novo prédio da Câmara.

“Mas ele [Prudêncio] é o presidente, ele tem o mandato, e não me arrependo de tê-lo ajudado. Não sou vereador, mas respondo como presidente do partido, e acho que ele devia ter aguardado eu apresentar isso. Eu não queria levar os louros para o prefeito, queria apresentar para o Prudêncio, seria um projeto do Legislativo”, afirma Bosio, “mas vamos levar esse projeto debaixo do braço, se não for agora, vamos tentar mais na frente”, garante.

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio