Kartódromo de Brusque recebe pilotos da 7ª etapa da Copa Speedway

Competição de motovelocidade ocorreu neste sábado, em Brusque

Kartódromo de Brusque recebe pilotos da 7ª etapa da Copa Speedway

Competição de motovelocidade ocorreu neste sábado, em Brusque

A 7ª etapa da Copa Speedway – competição de motovelocidade – ocorreu no kartódromo de Brusque neste sábado, 11. Cerca de 20 pilotos participaram da disputa, vindos de Londrina, Cascavel e Curitiba, do Paraná, além de outras diversas cidades do litoral de Santa Catarina. De Brusque, apenas um competidor participou.

Esta foi a penúltima etapa da competição, sendo que a 8ª e última deve ocorrer em Balneário Camboriú ou Joinville. Em Brusque ocorreram duas etapas, a 5ª e agora a 7ª da Copa Speedway, que está em sua primeira edição.

Um dos organizadores da etapa, Rafael Caetano, piloto de Brusque, afirma que este é apenas o começo da Copa. Para ano que vem, a competição deve vir ainda com mais vontade e mais participantes. “Com certeza a Copa Speedway vai pegar. Tem muita gente que não tinha moto e já está comprando para poder participar”.

Em Brusque, até o momento são três pilotos que praticam o esporte, mas apenas um é corredor e os outros dois se preparam já para o próximo ano. “É uma competição de alto nível técnico dos pilotos, temos presente campeões e vice brasileiros. São nomes conhecidos nacionalmente”, comenta Caetano.

O idealizador da Copa Speedway, Cleberson Maicher, 39 anos, conhecido como Alemão, de Itapema, explica que o objetivo é promover o evento para trazer a motovelocidade para Santa Catarina. “Hoje não temos nenhum motódromo no estado, por isso estamos trazendo para as pistas de kart”.

Ele agradece a presidência do kartódromo de Brusque por ceder o espaço e incentivar o esporte. “Em 2018 teremos mais eventos aqui, até porque é uma das melhores, ou até arrisco dizer que é a melhor, pista do estado”, diz.

Campeão brasileiro

O campeão brasileiro de supermoto, Mauriti Humberto da Silva Ribeiro Junior, 26 anos, esteve na Copa Speedway como treinador de um piloto que fez sua primeira corrida.

“Para ele será uma experiência, ainda mais em uma pista bem trabalhada em que exige técnica e faz a diferença, pois é realmente para quem tem qualidade. É aqui que se separa o profissional do amador”, avalia.

Ribeiro Junior salienta que a competição para os pilotos profissionais também é muito interessante, pois serve como um treino para disputas de campeonatos brasileiros. “Esse incentivo ao esporte é muito bacana, pois é uma maneira econômica de ingresso de novos pilotos”.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio