Leitor registra capivara morta às margens do Itajaí-Mirim, em Brusque

A caça das capivaras e de outros animais silvestres é crime ambiental e a pena pode variar de 6 meses a um ano de detenção

Leitor registra capivara morta às margens do Itajaí-Mirim, em Brusque

A caça das capivaras e de outros animais silvestres é crime ambiental e a pena pode variar de 6 meses a um ano de detenção

O cenário pode ser lindo e a cena comovente: famílias inteiras de capivaras, conduzidas pelo chefe do grupo de um lado para o outro da margem no rio Itajaí-Mirim. 

Porém, a convivência com os humanos está causando um grande impacto na vida das habitantes ilustres do rio que corta Brusque.

Uma foto enviado pelo leitor Manoel Dimas Siqueira, 56 anos, mostra uma capivara morta às margens do rio Itajaí-Mirim. 

A causa da morte é difícil de detectar, pois o animal pode ter sido atingido por um carro em alta velocidade, ter sido alvo de caçadores ou até mesmo ter morrido de forma natural.

De acordo com a Polícia Civil, a caça – ou qualquer tipo de maus tratos – às capivaras ou a outros animais silvestres é crime. 

** Saiba mais na edição impressa do Jornal Município Dia a Dia desta quarta-feira, 22 de agosto.

* Notícia atualizada às 20:10
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio