Mais de 10% das consultas e exames agendados em Brusque não são realizados pela ausência do paciente

Para minimizar a situação, Secretaria de Saúde realiza campanha de conscientização

Mais de 10% das consultas e exames agendados em Brusque não são realizados pela ausência do paciente

Para minimizar a situação, Secretaria de Saúde realiza campanha de conscientização

O número de ausências de moradores de Brusque em consultas e em exames agendados junto às Unidades Básicas de Saúde (UBS) preocupa a Secretaria de Saúde.

Em abril deste ano, dos 5.844 agendamentos para consultas e exames, os usuários do município faltaram em 798, ou seja, em 13,6% do total. Além deles, seis usuários de São João Batista e de Guabiruba também não compareceram em Brusque no dia do atendimento.

Das consultas com especialistas, a pediatria, a neurologia, a nutrição e a dermatologia lideram a lista de ausências, com 114, 58, 38 e 29 não-comparecimentos, respectivamente. Em relação a essas quatro especialidades, o número de agendamentos soma 1,5 mil.

Para a enfermeira da Atenção Básica, Aline Fagundes Cunha, o número assusta, sobretudo, pela falta de comprometimento e pela falta de empatia dos usuários. Além disso, ela argumenta que cada não-comparecimento também representa desperdício de recurso público.

“Esses dados de abril são parecidos com os dados dos outros meses. Então, nós ficamos preocupados. Em cada consulta ou exame que o paciente não comparece, o médico e a equipe ficam parados sem trabalhar sendo que poderiam estar atendendo outros pacientes. Isso é um desperdício de dinheiro público e também uma perda muito grande para as pessoas que estão aguardando na fila”, explica.

Em relação às especialidades que registram o maior número de ausências, a enfermeira diz que a pediatria – que lidera a lista – é uma das mais graves. Segundo ela, o dado demonstra que os pais não estão levando os filhos às consultas.

“Sabemos que o Sistema Único de Saúde passa por dificuldades nacionalmente. Mas aqui em Brusque conseguimos nos sair bem e, para isso, precisamos do comprometimento e da ajuda dos usuários”.

Aline explica que o problema se agrava ainda mais porque, antes da consulta, o usuário se dirige à UBS para retirar a guia, confirmando, assim, a presença na consulta. De acordo com a enfermeira, essa retirada ocorre, em média, cinco dias antes da consulta.

Campanha

Para tentar minimizar a situação, a Secretaria de Saúde lançou, em março deste ano, uma campanha nas Unidades Básicas de Saúde. Em cada local, foram distribuídos banners que chamam a atenção sobre a importância de desmarcar a consulta para que o outro paciente possa utilizar o horário.

“Não podemos punir os usuários que faltam. Então a nossa única possibilidade é tentar conscientizá-los tentando promover a questão da empatia. Precisamos fazer com que eles entendam que a ausência prejudica todas as outras pessoal da lista de espera”, argumenta.
17-05-16 Terça - Julia.indd

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio