Tem vezes em que é garimpo, tem vezes em que as coisas funcionam à base das notícias. Hoje a gente fica com duas músicas “noticiosas”: uma escolha óbvia para trazer para cá a festa dos 90 anos de Tom Jobim,  comemorados na quinta-feira, dia 25.

Vamos de Águas de Março por motivos pessoais: acho que foi a primeira música do maestro que eu amei. Devorei a música. Decorei a letra. Atormentava as amiguinhas de escola cantando no recreio. Em um universo de músicas perfeitas, compostas por ele, é a minha preferida pessoal. Ainda mais no dueto com Elis Regina

https://www.youtube.com/watch?v=Qle1OrunKnE

mtm

Depois dessa iluminação, uma nota mais triste. A gente relembra a música tema e trechos da série Mary Tyler Moore, uma daquelas que habitou meus hábitos televisivos nos anos 70, assim como seus spin-off Rhoda e Phyllis. Talvez, sem eu perceber, essas séries tenham me ajudado a construir o conceito de mulher moderna. Com certeza… ajudou a construir o conceito das séries protagonizadas por mulheres. Ou você não percebe o quanto a abertura de Sex & The City tem em comum com as cenas da abertura de Mary Tyler Moore embutidas nessa colagem? Repare…

Curioso é que Mary Tyler Moore, a série, parece ter sumido da memória televisiva geral, embora fosse um enorme sucesso na época. História é seletiva, mutante e bastante influenciada pelo olhar da época em que vive quem a está contando, não é mesmo?