Ministério Público abre procedimento para decidir se investiga encerramento de contas da Caixa

O banco negou ter encerrado ilegalmente contas inativas e ter confiscado R$ 719 milhões de recursos

Ministério Público abre procedimento para decidir se investiga encerramento de contas da Caixa

O banco negou ter encerrado ilegalmente contas inativas e ter confiscado R$ 719 milhões de recursos

O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF-DF) abriu nesta quarta-feira, 15 de janeiro, procedimento preliminar para avaliar se houve irregularidades no encerramento de contas de poupança de clientes inativos da Caixa Econômica Federal. Os procuradores têm 30 dias para decidir se a investigação será aberta. 

Reportagem publicada no sábado, 11 de janeiro, pela revista IstoÉ, informou que a Caixa havia encerrado ilegalmente as contas com irregularidades no CPF ou no CNPJ, confiscado os recursos da caderneta de poupança e usado o dinheiro para inflar os lucros em 2012.
 
Em nota divulgada à imprensa, a Caixa negou ter encerrado ilegalmente contas inativas e ter confiscado R$ 719 milhões de recursos de depositantes da caderneta de poupança no ano passado. O banco informou que nenhum cliente teve prejuízo e que o correntista poderá reaver os recursos, com correção, assim que regularizar a situação cadastral.

De acordo com o comunicado, o banco promoveu uma varredura entre 2005 e 2011 para identificar contas de titulares com irregularidades no CPF ou no CNPJ. Segundo o banco, 346 mil contas foram regularizadas depois que os clientes foram contatados por correspondência ou por telefone, mas os correntistas que não se manifestaram tiveram a conta encerrada em 2012.

Ao todo, 496.776 contas foram encerradas. O encerramento, destacou a nota da Caixa, ocorreu conforme as regras determinadas pelo Banco Central (BC) e pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), sem nenhuma ilegalidade.


Agência Brasil

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio