Morador de rua é encontrado morto

Alaor Rodrigues de Bairros, o Bibi, faleceu ontem de quinta-feira, 10, na Adriano Schaefer

Morador de rua é encontrado morto

Alaor Rodrigues de Bairros, o Bibi, faleceu ontem de quinta-feira, 10, na Adriano Schaefer

Um morador de rua foi achado morto nesta quinta-feira, 10,  por volta de 8h, na rua Adriano Schaefer, no antigo prédio do INSS. Alaor Rodrigues de Bairros, mais conhecido como Bibi, de 47 anos, era natural de Tijucas. Segundo o auxiliar de perito Rafael Viana, do Instituto Geral de Perícias (IGP), que atendeu a ocorrência, não havia sinais de violência ou qualquer indício de que a morte pudesse ter sido provocada por alguém. “Não tinha nenhuma marca de violência no corpo e nem tinha sinais no ambiente de que pudesse ter havido violência. A morte foi atestada e a família foi contatada pela Assistência Social do município”, diz Viana.

Os outros andarilhos que dormiam com Bibi nas ruas perceberam que ele não respondia e chamaram os bombeiros logo de manhã. Ao chegar ao local, a guarnição constatou que a vítima já estava morta e o IGP foi chamado, assim como a Polícia Militar. O auxiliar de perito do IGP afirma que preliminarmente a a causa da morte é por causas naturais. Ela pode estar relacionada com o estilo de vida que o homem levava, dormindo nas ruas, alimentando-se mal e consumindo bebida alcoólica. Os depoimentos das pessoas que tiveram contato com o morto reforçam a tese de que não houve violência. Por isso não haverá investigação, diz Viana.

Bibi era um velho conhecido da Assistência Social de Brusque. A secretária da pasta, Mirella Zucco Muller, afirma que ele era uma pessoa boa, mas teve uma história de vida muito difícil, o que acabou levando-o ao vício do álcool. “É preciso ter muito cuidado quando falar dele. Ele era uma pessoa boa, nunca roubou nem fez mal nenhum, só tinha esse vício. É realmente muito duro para todos nós”, afirma.

O andarilho foi abordado pela equipe da Casa de Passagem na semana passada. “Ele disse que iria parar quando quisesse, mas não quis vir conosco. É uma pena”, diz Mirella. Essa não seria a primeira vez que ele iria para o local. A psicóloga da Prefeitura de Brusque e responsável pelo atendimento na Casa de Passagem, Deise Pacheco Ávila, conta que Bibi já passou um mês sob os cuidados da Assistência Social em 2013. Ele chegou a se recuperar e largou o vício, mas tão logo conseguiu um trabalho, voltou a beber. “Essa recaída foi muito forte. Depois disso nunca conseguimos deixar ele bem como estava”, diz.

Bibi tinha um bom grau de instrução, segundo a psicóloga. “Ele era inteligente e sabia falar duas línguas. Ele nunca aceitou a internação, tinha muito carinho por nós (da Assistência social). Sempre tentávamos conscientizá-lo, mas ele não queria ser internado”, afirma Deise.

Alaor Rodrigues de Bairros não tem família por aqui. Segundo a secretária Mirella, os filhos dele foram embora para a Espanha e apenas irmãos moram em Tijucas, a sua terra natal. Ontem eles foram até o IGP para reconhecer o corpo e dar encaminhamento aos procedimentos para o enterro. A secretaria de Assistência Social está prestando o auxílio à família e aos órgãos de segurança.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio